Os maiores medos das mulheres no pós-parto

07 de mar de 2016

Esses dias perguntei lá na fanpage do blog (se você ainda não me segue, Vida de Gestante e Mãe) quais eram as maiores preocupações com relação ao pós-parto. Foi muito bacana, pois mais de 160 mulheres responderam e eu li uma por uma para tentar entender um pouco mais sobre o que vocês pensam com relação ao pós-parto.

Eu já escrevi em alguns posts que eu nunca tinha pensado em como seria depois do nascimento do Vítor. Achei que o difícil era a gestação e que depois seria tudo só alegria. Foi um choque quando descobri que não era bem assim e por isso que hoje sempre incentivo as mulheres a lerem e entenderem um pouco mais sobre o que pode acontecer durante o pós-parto. Durante a gestação da Mariah eu já sabia o que me esperava depois e talvez por isso, tenha sido muito mais tranquilo.

relato de parto da carol

Vocês são capazes de imaginar qual é a maior preocupação das mulheres com relação ao pós-parto?? Vou colocar as cinco que mais foram citadas e comentar sobre elas:

Os maiores medos das mulheres no pós-parto

1. Amamentação

Disparada a maior preocupação das mulheres! E essa preocupação é real! Ao contrário do que muitos dizem, a amamentação pode ser um grande desafio. Ela é maravilhosa e o melhor alimento para o bebê, mas nem sempre é fácil! É preciso que a mãe esteja bem informada, que tenha apoio e paciência. Se você também tem este medo, aqui tem vários posts sobre amamentação:

Tudo sobre amamentação

2. Não dar contar de cuidar do bebê e dos filhos mais velhos

Muitas mulheres que já eram mães responderam que o maior medo é não conseguir cuidar ou dar atenção para os filhos mais velhos, já que agora teriam um bebê. É claro que ficará mais difícil, mas é claro que todas darão conta!! Quando o segundo filho nasce, a gente tem a sensação de que antes era tão fácil e não percebíamos. Acredito que a mesma coisa aconteça quando se tem o terceiro, quarto, quinto… Mesmo a gente continuando sendo uma só, sabemos como conciliar e ser mãe de mais de um.

3. Dor durante a pós o parto

Nós temos medo da dor, porque não é confortável estar com dor seja ela pouca ou muita! A dor do parto vem acompanhada de uma série de mitos e por isso causa um medo muitas vezes irreal dela. O que posso dizer, baseada na minha experiência, é que a dor é forte sim, mas se nos prepararmos, ela não será insuportável. Sobre a dor do pós-parto, depende bastante se o parto foi normal ou cesárea. No parto onde não houve laceração ou episiotomia (o pique ou corte) não há dor depois. Já na cesárea ou em quem precisou dar pontos na vagina, depende bastante de cada mulher, variando de um leve incomodo, até bastante dor. O melhor mesmo é ler muito sobre estes procedimentos, ver o que você considera que será melhor e depois, se estiver com muita dor, conversar com o médico a respeito.

Como lidar com a dor do parto

4. Não saber cuidar do filho

Principalmente as mães de primeira viagem tem este medo. E é normal. A gente tem mesmo a impressão que não daremos conta, que o bebê é muito frágil e que não saberemos como cuidar. O que nós esquecemos (ou não sabemos!!) é que nosso instinto materno é muito poderoso e irá nos guiar pelo caminho da maternidade. Claro que ler um pouco a respeito e tirar dúvidas é sempre bom, mas não pense que outras pessoas saberão cuidar do seu filho melhor do que você, porque não é verdade. Você será a melhor mãe que ele pode ter, acredite em você e confie no seu instinto materno!

5. Ter depressão pós-parto

Alguns estudos apontam que cerca de 20% das mulheres brasileiras sofrem com depressão pós-parto. Os motivos são inúmeros e quase todos ligados a adaptação da mulher a maternidade. Não é mesmo fácil ser mãe e muitas vezes a mulher se depara com coisas que ela não esperava e por isso, não sabe lidar. É preciso que ela tenha muito acolhimento e um espaço de escuta onde poderá falar tudo que está pensando ou sentindo sem medo dos julgamentos. Muitas pessoas pensam que ela está exagerando, o que acaba piorando o quadro. É normal se sentir confusa e triste em alguma situações, querer chorar em outras, mas se sentir assim o tempo todo pode ser um alerta e o melhor a fazer é procurar um psiquiatra para avaliar o caso.

—-

Como vocês puderam perceber, escrevi que a melhor coisas para auxiliar a reduzir as chances de passar por uma dessas situações é se informar. Mesmo que a informação não nos prepare 100% para o que esta por vir, saber como lidar caso aconteça fará toda diferença.

Nada nos prepara para o que é ser mãe. Mas com boa informação e muito apoio é possível atravessar esta fase inicial e curtir tudo de bom que a maternidade nos traz.

Beijos,