Dia do Autismo

02 de abr de 2012

Hoje é o dia da conscientização mundial do autismo.

E por que é tão importante que todos conheçam esta síndrome? Porque quanto antes a criança for diagnosticada, maior estimulaçção ela irá receber e terá um melhor desenvolvimento.

Você sabe o que é o autismo?

O autismo é uma palavra de origem grega (autós), que significa “por si mesmo” e é um termo utilizado para denominar comportamentos humanos voltados para o próprio indivíduo. Além dos déficits na fala, essas crianças apresentam problemas nas áreas de interação social, comportamento (comumente focalizado e repetitivo) e no desenvolvimento neuropsicológico. Ainda não se conhecem quais mecanismos neuropatológicos dão origem aos comportamentos autísticos. (Orrú, 2007)

Quais as características?

De acordo com o “Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders” (DSM IV), as características essenciais do Transtorno Autista são: presença de um desenvolvimento acentuadamente anormal ou prejudicado na interação social e na comunicação, e um repertório marcantemente restrito de atividades e interesses. As manifestações do transtorno variam imensamente, dependendo do nível de desenvolvimento e idade cronológica do indivíduo.

O prejuízo na comunicação é marcante e persistente, afetando as habilidades tanto verbais quanto não-verbais. Pode haver atraso ou falta total de desenvolvimento da linguagem falada. Em indivíduos que chegam a falar, pode existir um acentuado prejuízo na capacidade de iniciar ou manter uma conversação, um uso estereotipado e repetitivo da linguagem ou uma linguagem típica.

E o tratamento?

O autismo é um transtorno genético e por isso não tem cura, mas há tratamento. A ABA (análise do comportamento aplicada) é um modelo de explicação e modificação do comportamento humano baseado em evidências empíricas e é o mais indicado no tratamento do autismo. A intervenção ABA direcionada ao autismo tem o objetivo principal de ensinar comportamentos adequados que permitam ao autista uma vida independente e integrada à comunidade (Terapia ABA).

Além disso, é importante que a criança tenha um acompanhamento multidisciplinar, ou seja, que seja atendida por psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, de acordo com a necessidade de cada um, juntos, assim ela terá uma maior estimulação e consequentemente, maior desenvolvimento.

Agora que vocês já conhecem um pouco do autismo, caso conheçam alguém com estas características, conversem com os responsáveis ou encaminhe a criança a um especilista, psiquiatra e psicólogo.

Beijos