A bagunça e os filhos

07 de nov de 2013

Eu nunca fui uma pessoa 100% organizada, apesar do meu signo – capricórnio –  sempre dizer o contrário sobre isso. Sabe aquela baguncinha que quase ninguém percebe, que mantém a casa em ordem, mas que certas coisas estão fora do lugar? Então!

Isso nunca me incomodou, já a minha mãe… Desde pequena ela sempre tentou manter a ordem em tudo, super organizada, estava sempre pegando no meu pé para deixar as coisas no lugar e minha bagunça de resumia as minhas gavetas (porque no meu quarto ela estava sempre de olho!).

Depois fui morar sozinha e a liberdade de poder fazer o que quer a hora que quer era ótima! Eu poderia receber visitas a qualquer momento que ninguém ia pensar “nossa que casa bagunçada!”, mas também não era sempre que ficava tudo no lugar. Sapatos na sala era quase sempre o que acontecia. Tirava a bota (eu morava em Curitiba!) e já colocava a pantufa. A bota ficava ali no canto, até eu sair de novo ou guardá-la, quando ia usar outro par (de botas, claro!).

Casei e meu marido é super mais organizado que eu. No nosso primeiro ano de casados, apesar dele pegar no meu pé por uma coisa ou outra, estava tudo sempre arrumado, já que eu tinha bastante tempo para manter a casa assim.

Vítor nasceu e tudo desandou de vez! Agora a minha bagunça também é a dele e eu quase não consigo tempo de organizar essas coisas. Sempre tem brinquedos espalhados pela casa! Não imaginei que seria tão difícil manter tudo em ordem depois que ele nascesse.

Se não são os brinquedos, é uma babinha, um par de tênis ou uma bolsa/mochila que ficou por ali na sala. Tem coisas que eu nem sei bem onde seria o lugar dela, já que ela está sempre por cima de alguma coisa. E aí como faz? Fica igual uma doida correndo atrás da criança e pondo tudo no lugar?

Eu optei por não me estressar com isso. Não que agora eu deixo tudo uma verdadeira bagunça, mas não fico neurótica querendo por tudo no lugar na hora. Vítor está numa idade que já começou a entender que os brinquedos precisam ser guardados. Ele não gosta, reclama, mas eu não deixo que ele pegue um novo brinquedo sem ter guardado o antigo.

Mesmo assim, vai acumulando uma baguncinha na sala, que é onde mais ficamos. Eu deixo e organizo quando ele vai para a escola, assim mantenho tudo no lugar durante a tarde. Quando ele chega, começa de novo, como que se brotasse do chão a bagunça. Impressionante como eles conseguem tirar as coisas do lugar rapidamente!

Mais uma vez não me estresso e deixo para arrumar só quando ele vai dormir. Mesmo assim, alguns brinquedos já fazem parte da decoração e isso me faz lembrar minha mãe, que sempre me disse que a gente acaba se acostumando com o “feio”, que nem percebemos mais, aí quando chega alguém em casa é que repara. Isso estava acontecendo com a bicicleta dele, que apesar de pequena, já estava na sala como se fizesse parte da decoração e não dá, né?

Leia:

Como organizar a bagunça dos filhos

Beijos,