A depressão pós-parto não é brincadeira

17 de nov de 2015

Esses dias me deparei com esta triste história no facebook. Fui conversar com o pai, que escreveu o texto e me deu uma vontade muito grande de compartilhar com vocês. Ela também queria que eu compartilhasse para que mais pessoas ficassem atentas a isso. Claro que eu não gosto de compartilhar coisas tristes, mas acredito ser importante para que as pessoas saibam o quão grave a depressão pós-parto (DPP) pode ser! Vejo pessoas falando que é frescura da mulher, que ela tem que passar por isso mesmo e tudo mais. Mas a DPP não é uma bobagem e as pessoas que convivem com a nova mãe devem ficar atentos com ela. Segue a história:

Ainda muito jovem fui para são Paulo em busca de conquistar os desejos de todo homem; emprego, casa, família e conforto, lá conheci Noêmia onde tivemos um filho chamado Thiago, felizes com nossas conquistas viajamos de férias para casa dos meus pais em uma cidadezinha chamada camela próximo as praias com muito sol, comidas gostosas, gente bonita e hospitaleira minha esposa amou tudo e todos voltamos à são Paulo após apresentação do neto aos avós.

Cinco anos depois decidimos vender tudo e nos mudar definitivamente para Pernambuco para minha alegria de minha esposa e do meu filho, reconquistamos tudo novamente e após longos nove anos nasceu mais uma criança chamada Thamyres onde veio com muita saúde e muito linda então a alegria tomou conta de meu coração da minha esposa, meu filho e toda minha família.

Mas, foi neste ponto que nossa vida mudou, minha esposa de maneira gradativa e lenta chegou a um estado avançado de depressão pós-parto e sem que percebêssemos e no estado inconsciente foi ate a barragem de contenção de agua do bairro com nossa filha com apenas 26 dias e lá afogaram-se.

Hoje meu coração encontra-se divido onde um pedaço estava morando Noemia minha esposa e Thamyres minha filha mais hoje com uma dor imensurável lamentando sem consolo esta tragédia. Não terei mais a vida da minha amada esposa, amiga, companheira, confidente e mãe de volta e nem tão pouco minha linda filha Thamyres que Deus nos concedeu.

Restando outro pedaço ainda do meu coração para recomeçar com nosso filho de 11 anos Thiago, onde buscaremos e seremos fortes para darmos continuidade a nossa historia, com lagrimas nos olhos te amo e sempre te amarei meus amores!
Noemia Sena Sangy Silva *19.09.1981* +07.11.2015+
Thamyres Sena Sangy Silva *12.10.2015* +07.11.2015+

Atenciosamente,
Esposo/papai

noemia noemia1

Eu já escrevi aqui no blog posts relacionados a isso:

10 cuidados que se deve ter com a nova mãe

Os cuidados com a nova mãe

Depressão pós-parto e baby blues

Meus dias de “baby blues”

Beijos,