A dor do parto

09 de jun de 2014

E a menina que não fazia nem escova no cabelo, porque não gosta de sentir dor, pariu. Sem anestesia, sem intervenção e em um parto domiciliar planejado. (se você ainda não leu: Relato de parto domiciliar)

Há alguns anos atrás eu riria se alguém me contasse que um dia, no futuro, essa menina seria eu. Magina que eu ia querer passar pela dor horrorosa de um parto. Sofrer pra que? Era assim que eu pensava.

Quando eu comecei a desejar o parto normal, depois o humanizado, o natural e por último que minha filha nascesse em casa, o que eu mais escutava era “Você não vai aguentar a dor!”. Teimosa como eu sou, só me fortalecia cada vez que escutava isso.

Como assim não vou aguentar a dor? Vou sim! E mais, vou aprender a lidar com ela!

Desde que descobri a gestação comecei a pesquisar sobre o que auxilia no controle da dor de modo geral, não necessariamente a dor do parto. Descobri então a hipnoterapia, que o Dr Lucas Menezes me apresentou. Ele explicou que por meio dela seria possível controlar a dor e até mesmo fazer a analgesia do parto com ela. No começo não levei muito a sério, mas topei começar.

Descobri o quanto eu tinha dificuldade para relaxar. Nossa, era muito difícil! Depois descobri o quanto nós nos contraímos quando sentimos uma dor e o quanto isso só faz com que ela aumente  e piore. Quase toda a gestação ele me ensinou a relaxar, respirar de forma correta e assim superar as dores. Ele me ensinou também a anestesiar partes do meu corpo com a hipnose o que também me ajudou no dia do parto.

Eu comecei a testar as técnicas quando tinha dores de barriga. Eu sempre tive dores enormes de barriga, de cair a pressão e vomitar de tanta dor. Então achei que seria uma boa maneira de ver se tudo aquilo funcionaria mesmo. Comecei a testar e me surpreendi em como a dor não só tinha diminuído e muito, como tinha se tornado bem suportável. A pressão não caiu mais e nem senti vontade de vomitar. Sempre tive medo que essas sensações aparecessem no dia do parto. Fiquei bem confiante e cada dia mais eu treinava tudo que aprendia com ele.

A hipnoterapia foi fundamental para o meu parto. O parto dói, dói mesmo. Dói muito. E acredito que sem aprender a lidar e a controlar a dor talvez eu não teria mesmo conseguido. Parece mentira, mas não consigo me lembrar como são as dores do parto. Eu lembro que doía na frente, como uma cólica menstrual, lembro que a dor aumentou no fim do parto, mas como ela era, de fato, eu não lembro. Lembro também que quando entrei no período expulsivo ela passou e só sentia vontade de fazer força, mais nada.

parto domiciliar

O que eu sei é que quando ela vinha, eu procurava uma posição confortável (de cócoras ou apoiada, em pé numa cadeira), respirava fundo e deixava que ela entrasse e saísse. Quando vinha a vontade de me encolher, contrair e desesperar, eu relaxava o máximo que conseguia e isso amenizava a dor que eu estava sentindo.

Usei uma técnica de analgesia para aliviar a intensidade das contrações, mas percebi que eu não poderia fazer com que elas passassem totalmente. Porque eram elas que me guiavam sobre qual fase do parto eu estava, como as coisas iam e principalmente, qual seria a próxima fase. Sem dor alguma, eu não teria sentido a evolução do parto como senti, por isso que pra mim, as dores foram necessárias.

No final eu estava cansada de sentir dor. Não é mesmo fácil sentir dor por horas, mas em momento algum elas ficaram insuportáveis. Eu nem lembrei que tinha a opção de tomar anestesia e fazer com que elas parassem. Eu só pensava no que eu poderia fazer para amenizar. No fim eu já não pensava, agia por instinto e tudo fluiu super bem.

Quando ficamos relaxadas o trabalho de parto também acontece de forma mais rápida, pois se contraímos todos os músculos, acabamos prejudicando o andamento das coisas… como se prendêssemos nosso bebê dentro de nós. Um exemplo bem fácil de entender: tenta se contrair quando estiver fazendo nº2. Ele não vai sair de jeito nenhum, porque a contração o prende lá dentro. Mesma coisa com o parto.

Eu não poderia falar sobre a dor do parto, sem dizer sobre essas coisas que aprendi para controlar. Eu acho sim que isso fez toda diferença e que quem vai pro parto sem estar preparada pode não aguentar a dor. E não digo só com a hipnoterapia, mas aprender a relaxar, respirar e também saber quais posições ajudam a amenizar as dores.Toda mulher é capaz de passar por isso.

E por que ficar sentindo dor e não tomar anestesia? No meu caso, em casa, eu não tinha opção, só se eu fosse pro hospital, mas a anestesia é uma intervenção que pode fazer com que outras intervenções sejam necessárias, por isso que eu me preparei para não precisar dela.

E olha que eu sou super sensível e continuo não fazendo escova no cabelo!!

Beijos,