A gente ama, mas a gente cansa

07 de mar de 2012

Depois de 1 mês com o Vítor acordando a cada 2h durante a noite, ele finalmente tinha voltado a dormir bem, acordando 1 vez para mamar ou só acordando de manhã. Foi assim por 15 dias e agora voltou a acordar de 2h em 2h de novo.

Ele acorda, mama e fica acordado, como se fosse durante o dia. Uma canseira só! E não pense que de dia ele dorme, porque isso também não tem acontecido. Dorme 10 minutos e já acorda toda aceso!

Quando alguém recém casado me fala que está doido pra ter um filho, eu dou o conselho que tantas e tantas pessoas me deram, mas eu não ouvi. Então, provavelmente, ninguém ouvirá o meu também. De qualquer forma o conselho é: curta muito seu casamento, suas noites de sono. Vá viajar, curtir a vida por um tempo, porque depois de ter filhos, tudo muda.

Não que mude para ruim ou que você nunca mais poderá curtir sua vida, não é isso, mas  a prioridade serão os filhos. Por exemplo, meu marido sempre quis fazer um cruzeiro, mas logo o Vítor chegou e acabou que não fizemos. Estamos programando para fazer um, mas o que antes era só escolher um destino e pronto, agora existem mil coisas para averiguar, como: qual destino é o ideal para crianças? Quantos meses/anos o Vítor deverá ter  para curtir também? O navio tem atividades infantis, a partir de que idade? No restaurante serve papinhas ou terá como eu prepará-las? Essas são só algumas perguntas que me vieram na cabeça agora, porque com certeza tem mais coisas para verificar. Enfim, não dá para simplesmente escolher um destino, tem que pensar – e muito – em como serão as coisas.

Voltando ao assunto principal do post de hoje, filhos cansam, mas geram um amor imenso dentro de nós. No começo eu não sabia o que era amor de mãe, me preocupava em não sentir, mas hoje esse amor é tão claro, tão limpo e puro que às vezes parece não caber em mim. Fico observando aquele serzinho todo perfeito ali na minha frente, me olhando, rindo, brincando e mal acredito que ele seja real!

Tento focar em não deixar o cansaço me abalar, em não me estressar com o Vítor, já que ele não tem culpa de nada e nem imagina a canseira que me dá. Confesso que às vezes é bem difícil e quado percebo já fiz cara feia. Mas não pode, né gente?

O tempo está voando, ontem mesmo me assustei quando olhei pra uma foto do Vítor. No meu colo ele é um pequeno bebê frágil, na foto vi uma criança feita, com expressão no olhar, “como ele está enorme!!”, pensei.

Infelizmente não tenho nenhuma dica para reduzir o cansaço ou melhorar os sintomas do mal humor quando ele resolve bater, só o que posso dizer é: se não tem filhos, aproveite ao máximo sua vida, se tem filhos, aproveite ao máximo cada momento com ele, porque “o tempo não para, não para não, não para”(Cazuza).

Beijos,