A melhor festa de todas

22 de out de 2015

Desde que o Vítor nasceu que sinto uma certa frustração por nunca ter conseguido fazer uma festa sua em um buffet, com decoração, brinquedos e tudo que tem direito. Eu queria festejar o fato do meu filho estar crescendo, completando seus anos de vida, mas acabava sempre fazendo algo pequeno em casa ou na escola, por conta da grana curta. Eu me sentia como se não estivesse sendo uma boa mãe de não conseguir proporcionar para ele uma festa como as que a gente vê por aí. Não sei se já tinha falado isso para alguém, mas é que era sim muito frustrante para mim isso. Era. Até seu aniversário de 4 anos.

Foi o primeiro ano que Vítor entendeu que seria seu aniversário e fizemos contagem regressiva para o grande dia. Só este ano que ele se deu conta de que teria que levantar um dedo a mais nas mãos para mostrar sua idade e sentia que, assim que completasse 4 seria uma criança grande e que por isso conseguiria fazer mais coisas do que com 3 (ele realmente acha que por um passe de mágica agora alcança o botão do elevador e consegue jogar video-game). Ficamos ansiosos com a chegada do grande dia. Eu planejei fazer algo maior, mais especial, já que agora ele entendia. Me esforcei para guardar dinheiro e poder fazer uma super festa para ele.

Mesmo assim, acabei desistindo por algumas coisas que aconteceram pelo caminho. Eu cheguei a pensar em não fazer festa alguma, mas aí vi que não poderia deixar passar em branco. Ele estava ansioso esperando seu aniversário de 4 anos e precisava fazer alguma coisa!! Mudei meus planos e no mesmo dia do aniversário fui com ele em uma loja de festas e perguntei qual tema ele gostaria. Para minha surpresa ele escolheu “Halloween”. Não tinha muitas coisas para decorar aniversário com este tema, mas improvisei e uma tia me ajudou a montar uma mesa e a decorar o quintal da casa da minha mãe.

A reação dele quando viu tudo pronto foi:

– Nossa mamãe, que festa mais linda que você fez para mim!

Nesse momento entendi que para ele o que mais importava era estarmos juntos para comemorar seu aniversário, não importava como e nem se era algo glamuroso. E mesmo tendo vindo uma ventania que nos fez correr com tudo para dentro (o que fez a decoração não ficar tão legal quanto estava do lado de fora!), ele ficou todo orgulhoso do que eu tinha preparado e mesmo com poucas pessoas foi o aniversário mais incrível que tivemos!

nivervitor3 nivervitor4

Alguns dias depois ele me pediu para fazer uma festinha na escola e mais uma vez decidi fazer eu mesma. Eu não tenho muito talento para isso, mas como na escola seria só uma mesa, achei que daria para arriscar. Ele me pediu o tema “dinossauros”, comprei alguns enfeites, peguei vários que ele tem, de tamanhos diferentes e pronto, lá estava a mesa feita uma floresta de dinossauros! Ele amou e os amiguinhos também!

nivervitor1 nivervitor2

O que aprendi com tudo isso? Que o sonho de uma grande festa cheia de coisas era meu e não dele. Que crianças não se importam com isso, o que elas querem mesmo é estarem reunidas e ganharem presentes (claro!).

Se ainda penso em fazer uma festa glamurosa em um buffet lindo? Sim, mas agora não tenho mais a frustração que tinha antes. Quando me sobrar dinheiro farei um festão pra ele – e para a Mariah – sem dúvidas, mas enquanto eu não conseguir, vou ficar muito feliz em preparar seus aniversários com muito amor e carinho em casa mesmo!

Quem já se sentiu ou se sente assim?

Beijos,