A pressão sobre o sexo do segundo filho

17 de set de 2013

Quando você está grávida do primeiro filho, parece que ninguém se importa muito com o sexo. Todo mundo fala que tem que vim com saúde – claro – e o que vier será bem vindo. É bem gostosa a expectativa de esperar para saber se virá menino ou menina e tudo que gira em torno dela.

Aí você engravida de novo e as pessoas passam a desejar – muito mais do que você, às vezes – que você tenha o sexo oposto que já tem. “Afinal, todo mundo quer um casalzinho, né?” É isso que eu escuto o tempo todo.

Essa situação me incomodou desde o primeiro momento, pois desde antes de se confirmar a gestação eu já falava que seria outro menino. Não sei porque, mas eu tinha certeza que seria outro menino. Depois que vieram tantos negativos, que eu já nem sabia mais se estava mesmo grávida, comecei a ficar na dúvida sobre isso. De qualquer forma, diferente da primeira gestação (que eu pensava em menina), eu realmente só quero que venha com saúde. Talvez porque essa gestação tenha sido mais planejada, talvez por ter demorado 3 meses para ter engravidado ou então pelos sustos no começo e o medo de perder que senti, que eu realmente não ligue para o sexo que virá.

Eu fico sem graça toda vez que alguém me fala sobre “ah, agora tem que vim uma menininha”. Fico com a impressão que ninguém vai gostar muito se for menino e não gosto disso. Sem contar na pressão que eu sinto, na obrigação de ter que ter menina. Que história é essa gente? Por que tem que ser menina?

Já escutei até alguém falar que será melhor para o blog se for menina, para eu ter experiências diferentes para contar. Oi? Eu amo o blog, ele é super importante pra mim, mas né? Quem é mãe de dois deve entender bem o que quero dizer e o quanto é chato todo mundo falando em volta que seria melhor se você estivesse grávida do sexo oposto.

Talvez eu mesma já tenha cometido esse erro, antes de ser mãe. Acredito que as pessoas não falem por mal, que elas na verdade não tenham ideia de como provoca uma situação chata com isso.

O auge desta questão para mim foi  quando o bebê ganhou seu primeiro presente:

a pressão sobre o sexo do bebêPois é, é um vestidinho! Lindo, né? Mas é um vestido! E se for menino? A pessoa que deu disse que tem certeza que será menina e até palpitou no nome que quer que eu escolha. Alguém pode imaginar situação mais sem graça? Eu ri e agradeci, mas com certeza um body branco me deixaria muito mais contente. Não pela roupa em si, mas pela situação.

Enfim gente, não sei se todo mundo passa por isso, mas acredito que sim e precisava desabafar sobre essa situação que chega a ser bem desagradável em certas circunstâncias. Ao mesmo tempo que não estou muito curiosa para saber qual será o sexo, quero saber de uma vez e parar com essa coisa chata de todo mundo querer que seja menina!

Como foi com vocês?

Beijos,