A teoria das azeitonas e os enjoos

16 de maio de 2011
Eu sempre amei azeitonas e agora que estou grávida é quase uma necessidade comer algumas todo dia (já contei um pouco sobre isso aqui ). Essa noite acordei de madrugada passando mal, com enjoo muito forte, por sorte meu marido estava acordado e perguntou se eu queria alguma coisa e eu não tive dúvidas: “azeitonas”. Ele trouxe e assim que mordi uma, pronto, lá se foi o enjoo.
Deitei pra dormir de novo e fiquei pensando o porque disso. Me lembrei que quando eu era pequena, passava muito mal em viagens e minha mãe sempre levava um potinho com azeitonas, se eu passasse mal, ela me dava algumas e a ânsia ia embora.
Aí fiquei pensando: “por que isso acontece?” .
Fonte: Google
A teoria sobre pressão baixa subir com as azeitonas foi por água abaixo, pois comentei com a minha endócrino e ela disse que isso não é tão instantâneo assim, que quando a pressão está baixa, o corpo pede sal, pois o sal nos deixa com sede e quando bebemos água a pressão sobe.
Bom, então pensei em uma nova teoria: quando o corpo precisa se alimentar, além do estômago roncando e coisas assim, muitas vezes começamos a sentir tontura, que cessa assim que ingerimos um alimento. Quando temos enjoo, mesmo que não seja por fome, acredito que para o corpo é como se tivéssemos fracos e como a azeitona é rica em sódio, quando comemos, “enganamos” o nosso corpo que na hora corta essa sensação horrorosa.
Faz sentido não faz? Eu ainda não comprovei isso, pois não conversei com nenhum médico a esse respeito.
Quis passar isso pra vocês, porque independente do mecanismo que ocorra, o fato é que o enjoo acaba na hora e isso poderá ajudar gestantes que estão passando muito mal.
Quero então deixar aqui um teste: quando você passar mal (de enjoo) coma algumas azeitonas e depois me diz se fez efeito. Só lembrando que quem tem pressão alta não pode usar essa “técnica”, porque o sal da azeitona ajuda a subir a pressão.
Enquanto vemos se funciona com mais alguém, eu vou pesquisar pra ver se tem sentido essa minha teoria.
Oh, eu não sou totalmente louca não, tá? Só adoooro o corpo humano e seus mistérios – eu deveria ter feito medicina.
Beijos,