Amamentação: quem disse que seria fácil?

12 de abr de 2014

Quando amamentei o Vítor foi super tranquilo. Tive 2 dias de aprendizado, no hospital, com as enfermeiras e depois ninguém mais, já que voltei pra cidade em que morava e lá não tinha banco de leite. Meus seios encheram de leite, ficaram doloridos, mas nada demais.

Dessa vez pensei que seria igual, eu teria muito leite, mas que tudo seria traqnuilo, ainda mais por ser segunda vez. Mas realmente cada filho é uma nova vivência. Mesmo com tudo que eu já tinha lido, mesmo com a minha doula Raquel Loureiro, especialista em amamentação me acompanhando, meus seios ficaram levemente rachados e tive mastite.

Graças a Deus que tive a Raquel para me auxiliar dessa vez, pois não sei o que teria sido de mim – e dos meus peitos – sem ela. As rachaduras logo foram embora com as orientações dela e a mastite foi descoberta no começo, pois qualquer mudança que acontecia eu relatava para ela. Mesmo assim, tive febre de mais de 39°C, fiquei com um mal estar danado no corpo e com o seio direito que não conseguia encostar a mão de tanta dor.

Fui seguindo as orientações da Raquel e também da minha médica, mas 3 dias depois, tive que começar com o antibiótico. Aprendi a fazer massagens com ela, que veio em casa algumas vezes me auxiliar e elas que ajudaram as dores a passar. Devagar meu seio foi voltando ao normal, a dor passou e as coisas melhoraram.

Não deixei de dar o peito pra Mariah, que mamou com dificuldade, mas era importante que ela me ajudasse no processo de cura, pois o leite não pode ficar parado dentro do peito. Ela pedia mais quando terminava de mamar o peito doente e então eu dava do outro para que ela não ficasse com fome. Seguimos assim, com ela mamando muito mais do que o normal, mas deu tudo certo!

Minha mãe também estava em casa me ajudando, o que foi essencial nos dias em que eu mal consegui sair da cama!

Mas gente, a boa notícia é que passa!!! Até eu não estava acreditando mais nisso, sentindo meu seio tão duro e esquisito, mas com o remédio, massagens e mamadas ele foi melhorando e sarando!

amamentação

Bastante gente me pergunta se dar mamá dói. Sim, dói, mas só no começo. Dói, porque o peito não está acostumado com a sucção e também porque o bebê está se adaptando e aprendendo a pegar direitinho. Mas depois é muito prazeroso. Com uns 3 dias de amamentação já não sentia mais dor, só depois que deu a rachadinha no peito que ele ardia, mas não dá pra desistir. O importante é sempre procurar ajuda!

Quando fui ao banco de leite, a enfermeira me contou histórias horríveis de mulheres que achavam que a dor era normal e quando foram procurar ajuda a mastite ou rachaduras já estavam tão feias que davam dó. Ela me contou que algumas mastites tiveram até que serem drenadas. Por isso é muito importante procurar ajuda a qualquer sinal de uma dor mais forte, seja no peito ou no bico.

Doer não é normal! Só nos primeiros dias e mesmo assim é uma dorzinha, dor forte é sinal que algo está indo errado! Não fiquem sofrendo achando que amamentação é sofrimento, pois não é!

Para quem quiser saber mais sobre o assunto: Amamentação

Beijos,