Existe brinquedo de menino ou menina?

15 de dez de 2015

Esses dias eu estava pensando sobre as diferenças de ter uma menina e um menino. Nossa sociedade, ainda muito machista, dita algumas regras bem preconceituosas, como a de que menino tem que gostar de carrinho e azul, enquanto as meninas de bonecas e rosa. Nós crescemos assim, fomos criados desta forma e por isso não é fácil começar a pensar diferente de uma hora para outra.

Por que os meninos tem que gostar de carros? Teve um ano que Vítor pediu uma cozinha de Natal e eu percebia os olhares das pessoas quando eu perguntava por uma cozinha diferente daquelas  cor de rosas. Ele queria uma cozinha, mas não gostava de rosa e foi então que decidi fazer uma cozinha de papelão para ele! Foi sucesso! Ele brincou um tempo, até que enjoou e voltou para seus carrinhos e dinossauros!

Faz parte da infância querer descobrir o mundo a sua volta, experimentar coisas novas. E por que iremos proibir? Uma brincadeira de criança não mudará sua opção sexual, mas com certeza o mudará como ser humano, que perceberá que não existem obrigações de um ou outro sexo, todos nós podemos fazer o que realmente gostamos.

brinquedo de menino ou menina

Agora que Mariah tem quase 2 anos percebo o quanto eles são diferentes um do outro, suas preferências e gostos, mas isso não é por conta só do sexo, mas sim porque são pessoas diferentes. Vítor nunca se importou com as minhas maquiagens, a Mariah já perdi as contas de quantas vezes a encontrei com meu estojo aberto no chão e ela tentando se pintar. Vítor adora lavar o carro com o pai, a Mariah nem liga. Enquanto estão brincando, apesar das preferências, ela brinca de carros e dinossauros com ele, assim como ele também brinca de levar a boneca dela para passear e tomar banho.

E o quanto é rica esta troca. Eles poderem ser o que quiserem!

Talvez por influência externa, vira e mexe Vítor me pergunta se isso ou aquilo são coisas de meninas e se por este motivo ele não poderia brincar. Eu explico que não, que brinquedo é brinquedo, sem sexo. Tenho certeza que assim ela saberá do que realmente gosta e futuramente não pensará que mulheres devem cuidar dos filhos e da casa, enquanto os homens devem trabalhar para ganhar dinheiro. Ele perceberá que tudo é feito em conjunto e que ser pai não é ajudar, mas sim participar da criação dos filhos.

Eu tive também que quebrar barreiras dentro de mim. Fui ler, me informar e então entender que criança é criança e que a cor que ela gosta ou com o que ela brinca, não vai influenciar sua opção sexual futuramente. Independente se ela brincou de carrinho a infância inteira, ou se foi com bonecas, sua preferência será a mesma. Com a diferença de que talvez, se ela foi criada em um ambiente muito severo, não terá coragem de assumir seus sentimentos e viverá presa neles por toda sua vida.

Eu sempre falo para meu marido que eu quero que meu filhos sejam felizes. Como isso irá acontecer, só eles saberão!

O que vocês acham sobre isso?

Beijos,