Mãe para-quedas

14 de mar de 2012

A maior loucura que eu cometi na vida, sem dúvidas, foi a de ser mãe.

Não daquelas loucuras que não devemos fazer – como usar drogas – mas sim aquelas que dão adrenalina, te deixam com os nervos à flor da pele e dá um medo danado, como pular de para-quedas.

A gente sempre pensa em um dia fazer, até planejamos muitas vezes, mas nunca, nunca imaginamos qual será a sensação antes que ela aconteça. Assim como o para-quedas que nos faz temer do que poderá acontecer caso algo dê errado, ser mãe nos faz temer também, o tempo todo, sobre alguma coisa que possa afetar nossas crias. Seja uma doença, um acidente ou qualquer outra coisa que prefiro nem exemplificar aqui (bate na madeira!!).

Quando alguém pula de para-quedas, está atrás de uma aventura pro currículo, uma adrenalina a mais, um fato novo pra contar. E quando alguém decide ser mãe? Com certeza não imagina que pular de um avião a quilômetros do chão é “fichinha” perto do que está por vir. Todas as explosões de sentimentos que se sente quando nos tornamos mães é algo tão grande e tão confuso que não tem como explicar.

Ser mãe é realmente extraordinário! Ver aquele ser tão pequeno e indefeso tomando forma, suas formas, se desenvolver super rápido, te surpreender e você pensar “fui eu que fiz!” é maravilhoso!

Eu cometeria esta loucura quantas vezes fosse necessária e acredito que viver sem ter conhecido todas essas emoções não teria tanta graça!

E quando nossos filhos resolverem que querem pular de para-quedas? Bom, aí já é outra história! 🙂

Beijos