Medo do depois

18 de jun de 2011
Essa noite acordei de madrugada, pra variar, e comecei a pensar no bebê, na gravidez e foi me dando muito medo. Medo de não dar conta. Medo da minha vida depois que ele nascer. Medo de não ter dinheiro pra comprar as coisas pra ele, medo até de me cansar…
Sei que todo mundo fala que quando estamos com nosso filho no colo tudo muda, que o amor infinito cresce ainda mais e se torna tão grande que nada mais faz sentido sem aquele pequeno, mas mesmo assim, hoje eu estou com medo.
Ter o primeiro filho acho que sempre gera essa insegurança maior, né? Eu sei que minha vida será totalmente diferente, mas não tenho ideia da dimensão que isso terá, por mais que eu tente imaginar, não sei como é ter na vida um filho, totalmente dependente de mim.
Quando acordei hoje, o Vítor estava mexendo muito, eu amo quando ele mexe – até o papai conseguiu sentir, pela primeira vez – e pela primeira vez também foi que vi minha barriga se mexer do lado de fora. É uma sensação única, a prova viva de que uma vida mora no meu ventre.
Eu sempre quis ser mãe nova – to com 26 – e me sinto muito feliz de saber que logo ele estará nos meus braços, mas fico pensando se deveria ter esperado um pouco mais, se realmente agora era hora.
A parte financeira me preocupa muito, já que com o casamento e a mudança de cidade eu larguei meu trabalho e quando arrumei um aqui, decobri que estava grávida e não fui contratada (escrevi aqui). Antes de engravidar, eu comecei a fazer sabonetes artesanais e o dinheiro que entrava ajudava muito aqui em casa, com a gravidez e 2 intoxicações inalatórias a médica me proibiu de confeccioná-los e agora a situação apertou de novo.
Penso que tem pessoas com menos do que eu e dão conta, então eu vou ter que dar também, mas tenho medo, muito medo.
Nós, seres humanos, por natureza, temos medo de tudo que é novo, diferente, por isso que mudanças são sempre vistas com uma certa cautela, até elas chegarem e provarem o quanto foram boas. Por isso, sei que meu medo é totalmente compreensível e que ele vai passar conforme o Vítor nasça e me mostre que tudo tem um jeito.
Até lá, vou sempre ter esse medo aqui, mesmo não sendo algo que está me consumindo por inteira, ele aparece sempre para me preocupar.
Vocês também sentiram medo na primeira gestação?
Beijos