Meu filho…

24 de out de 2011

Eu sabia que não estava pronta, mas não imaginava a explosão de sentimentos que me invadiriam quando ouvisse seu choro pela primeira vez. Eu queria loucamente sentir o amor de mãe e pensei que ele fosse me consumir assim que você nascesse, mas não foi  bem assim…

 

Mesmo meus olhos tendo enchido d’água quando você chorou, o que pareceu demorar uma eternidade entre a médica dizer “nasceu!” e você chorar (o que me fez perguntar e ela responder “calma, ele precisa de 1 minuto pra chorar”), aquele sentimento inicial não é nada perto do que eu sinto agora quando te olho.

Sinto vontade de chorar várias vezes, em vários momentos, seja por um gesto novo que eu ainda não tinha visto ou quando te olho e mal acredito que você é meu filho e já está aqui comigo.

Ainda estou aprendendo a lidar com você, descobrindo o que cada resmungada significa. Fico confusa com várias coisas, com medo, preocupada e doida pra chegar logo a primeira consulta com o pediatra e poder perguntar se tudo é normal. Se você mama demais me preocupo, se mama de menos também preocupo. Se você chora preocupo, se não chora então, nem se fale!

Sei que é tudo o começo ainda, que vamos passar por mil coisas juntos, vamos aprender um com o outro e crescer! Mas agora o que mais quero é poder te curtir, te sentir, cheirar e te mostrar que o meu amor de mãe só cresce, a cada momento que passa.

Eu te amo, meu leãozinho cabeludo!