Morte súbita em bebês

18 de dez de 2011

Vítor já está com 2 meses e isso me fez pensar sobre a morta súbita, que tanto já ouvi dizer (e conheço casos, infelizmente). Queria descobrir porque ela acontece, o que posso fazer para previní-la e quando termina o risco.

Pesquisando em vários sites na internet (referências no final do post), descobri que ninguém sabe ao certo porque a morte súbita acontece, mas há alguns fatores de risco que foram associados em diversos casos e que podem contribuir para que essa tragédia aconteça. São eles:

 

Posição do bebê dormir: segundo pesquisas, quando o bebê dorme de bruços ou de lado, ele acaba respirando o ar que solta, ou seja, ele inala mais gás carbônico do que oxigênio, o que pode causar asfixia e consequentemente a morte. Por este motivo que o Ministério da Saúde lançou a campanha “Este lado para cima”, pois de acordo com a pesquisa realizada, isso diminui em 70% o risco de morte súbita.

*Minha dúvida é: se ele dorme de barriga pra cima, pode voltar o leite e como o bebê ainda não tem a deglutição totalmente formada pode acabar aspirando líquido para a pulmão, então, o que fazer? Qual posição é realmente mais segura?

Cama compartilhada: como já falei em outro post (clique aqui para saber mais) não há comprovações científicas sobre a cama compartilhada causar morte súbita, porém, alguns artigos afirmam que  por o bebê para dormir junto com os pais pode causar sufocamento e aumento da temperatura corporal do bebê, devido ao calor que vem dos corpos dos pais embaixo da coberta.

Excesso de roupas e cobertas: pode causar o aumento da temperatura do bebê, podendo causar convulsões e até a morte.

Exposição ao tabaco: mães que fumam podem aumentar o risco de morte súbita em bebês devido ao  exposição do tabaco ao feto, podendo comprometer o desenvolvimento e funcionamento pulmonar.

– A morte súbita pode acontecer com bebês de 0 a 1 ano, com maior incidência entre os 2 e 4 meses.

(ABC da Saúde e Guia do Bebê)

Precaução nunca é demais, né?

Vocês conhecem alguma caso? Sabem de mais algum fator de risco?

Comentem!

Beijos,