Mulher e mãe: quando voltar a me cuidar?

15 de jan de 2015

Depois que Vítor nasceu eu mal me reconhecia no espelho. Cabelos sempre despenteados, desidratados, pele com espinhas, olheiras, pijama. Até escrevi dois textos falando sobre esta fase crítica do meu lado mulher.

Que mulher é essa?

A versão dragão de mim mesma

Mesmo que depois de um tempo tudo foi voltando pro lugar, eu nunca mais me cuidei como antes. Com tantos afazeres com o bebê eu nem cogitava usar meu tempo de sobra pra me arrumar. Sei que tem muitas mulheres que dão prioridade à isso e logo se organizam para voltar a rotina de beleza e exercícios. Eu as admiro, mas passo longe de trocar meu descanso por beleza (mesmo sabendo que não é legal andar desleixada por aí!).

O fato é que há alguns meses que esta questão começou a me incomodar. Comecei a me sentir muito mal vestida, estava sempre saindo de casa com as mesmas roupas e algumas delas meu marido e minha mãe até brigaram comigo, porque estavam manchadas e muito gastas. Parece exagero, mas não foi. Aí que me toquei que “opa, perai, estou deixando o meu lado mulher de lado muito mais do que deveria”.

Desde então tenho tentado voltar a ser como eu era, na verdade até melhor, mas não é do dia pra noite que a gente volta a nos cuidarmos, a fazer exercícios, gastar dinheiro com a gente e não com os filhos e gostar do que vê no espelho.

Quando então voltar a cuidar do lado mulher? Cada uma tem seu tempo. Pra mim demorou pouco mais de 3 anos e sim, é tempo demais. Mas antes disso, além de eu ter ficado grávida novamente, não me toquei que eu estava mesmo muito mal cuidada. Sempre fui daquelas de me arrumar pra mim e não para os outros e quando eu não gostei do que vi no espelho é que percebi que estava na hora de mudar, de me cuidar de novo!

Uma dica: não se cobre demais, principalmente no começo da maternidade. Faça o que estiver ao seu alcance. E não se compare com outras mães, nunca. Principalmente as “perfeitas” que no dia seguinte do parto já estão impecáveis novamente. Todo mundo tem o lado B que muitas vezes ninguém vê. Preocupe-se com você e só!

Beijos,