Música tema da minha vida – Parte II

29 de jun de 2011

>

Vou contar uma história para vocês.
Eu sempre tive problemas em lidar com perdas e separação, por isso achei que viveria minha vida inteira na cidade em que nasci, Bauru/SP. Até eu completar 18 anos e decidir que estava na hora de sair da casa dos meus pais. Passei no vestibular, juntei minhas coisas e lá fui eu de mala e cuia para Curitiba/PR. Morei com pessoas diferentes, depois morei sozinha. Com o tempo, fui fazendo amizades, algumas passegeiras, outras muito sólidas e por lá fiquei 5 anos e meio.
Com o fim da faculdade veio também a oportunidade de fazer uma pós-graduação em São Paulo, na USP. Fiquei tão feliz que nem me importava de todo fim de semana ter que pegar ônibus e ir pra lá estudar. Foi quando conheci meu marido e começamos a namorar. Quando me formei, fui convidada para trabalhar em um grupo, na USP mesmo. Não pensei duas vezes para arrumar minhas coisas e mais uma vez por o pé na estrada. Lá comecei tudo de novo, um lugar totalmente diferente, com pessoas diferentes e novas amizades à vista. Depois de um tempo, quase um ano, percebi que estava na hora de começar a ganhar dinheiro com meu trabalho, já que o grupo era voluntário e eu estava formada e com uma pós-graduação. Por isso, conversando com meu pais, decidi voltar para Bauru e abrir uma clínica. Fiz vários contatos, conheci muita gente nova, revi muitos amigos antigos e tudo estava indo bem. Chegou meu casamento e como meu marido trabalhava em Uberlândia/MG, decidimos que seria melhor eu fechar a clínica e ir pra lá, pois seria mais fácil eu conseguir um emprego do que ele. E assim foi, casei, arrumei tudo de novo e lá fui eu!
Faz pouco mais de um ano que cheguei aqui, arrumar emprego não foi tão fácil como pensávamos, mas a cidade é ótima e foi muito bom eu ter vindo. Agora, meu marido foi transferido e adivinhem?

Novamente vou fazer minhas malas, de novo vou atrás de um caminho desconhecido, cheio de dúvidas e incertezas, começar do zero. Diferente de todas as outras vezes, vou com um pouco mais de medo, já que agora carrego o Vítor comigo, mas com a certeza que nada acontece por acaso e de que tudo dará certo! Por isso que a música “Antes que seja tarde” do Pato Fu tem sido a música tema da minha vida nesses últimos anos.
Enquanto meu marido trabalha, vou procurar um cantinho para chamar de nosso. Não vejo a hora de organizar tudo, levar as coisas e finalmente acalmar meu coração com tantas mudanças. Se vai ser bom ou não, isso só o tempo dirá, mas estou indo com a cabeça aberta e sendo o mais otimista que eu puder e souber.
Não sei vou ter internet o tempo todo, por isso, peço a compreensão de vocês para caso eu dê uma sumida. Vou tentar entrar o maior número de vezes possíveis na internet, escrever posts e comentar nos outros blogs durante este período. Assim que eu mudar e tudo se estabilizar, vou voltar com tudo e com algumas supresas aqui no blog para vocês. 🙂
Beijos