O dia que meu filho me ensinou sobre a morte

29 de set de 2015

Quando meus filhos nasceram eu sempre me preocupei muito com o que eu iria ensiná-los. Se eu sabia o suficiente para poder dar lições de vida à eles de forma que crescem e se tornassem adultos responsáveis e independentes.

O que eu não imaginava é que eu aprendia com eles, muito mais do que eles comigo. Conviver com uma criança é ter um livro todo prático de como é viver de forma simples e sincera. As crianças não complicam as coisas como nós adultos e tem uma sensibilidade absurda sobre tudo.

Mesmo quando pensamos que não estão entendendo nada eles nos surpreendem. Dia desses foi assim. Minha madrinha não anda muito boa de saúde e eu tenho evitado falar disso com o Vítor (que também a chama de madrinha e é bem ligado à ela), porque eu simplesmente não sei como lidar com isso, não sei como falar com ele a respeito.

Aí um dia, saindo do banho ele me pergunta:

– Mamãe, a madrinha está dodói, né?

– Sim, Vítor!

– Por que?

– Porque ela está velhinha, filho!  – Mesmo sabendo que doença e idade não tem a ver, eu não sabia como explicar qual era o motivo dela estar doente.

– Ela logo vai morar no céu, mãe! – Choque, medo, vontade de falar que não, que ela irá se recuperar, mas eu sei que ele tem toda razão. Respiro fundo.

– É filho, logo ela vai!

– Aaaahh, eu vou ficar com saudade, ela é tão fofa! Eu amo ela!

– Eu também amo ela!

Ele me abraça como nunca e termina:

– Mas ela vai ficar feliz, porque a mãe dela já mora no céu, né?

E eu entendi que é exatamente isso. Ela vai ficar feliz, porque aqui ela não está mais e que alegria deve ser poder encontrar os pais novamente! Nós somos muito egoístas querendo sempre que a pessoa viva a todo custo e meu filho, de quase 4 anos, me ensinou que sim, vamos sentir saudades, mas que ela estará feliz e isso que importa.

Se prestarmos atenção, nossos filhos estão o tempo todo nos ensinando algo sobre a vida e a finitude dela. Eles nos ensinam as coisas como se falassem “ei, não complique tanto, tudo é mais fácil do que você acha!”. Dá medo de falar sobre a morte, porque parece que assim vamos atraí-la, mas aprendi com ele que não há do que temer, pois ela virá para todos e quanto antes aprendermos a lidar, antes começaremos a sofrer menos.

Obrigada meu filho por mais esta lição, por ter falado comigo sobre a morte e ter me ensinado como lidar com ela. A gente sempre espera que nós, adultos, ensinemos as coisas para as crianças e muitas das vezes eles nos dão as maiores lições da vida!

Beijos,