O que fazer com as birras?

13 de mar de 2013

 

Imagine a cena: uma criança descontrolada chorando, se debatendo no chão e uma mãe meio perdida ao lado. Pareceu familiar?

Pois é, Vítor está em plena fase de testar seus limites – e os meus também. Tudo, absolutamente tudo, que ele não pode ter ele esperneia, se joga no chão e faz maior choradeira. Claro que não importa o lugar e várias vezes já aconteceu os tão temidos ataques em público.

Eu ignoro. Tanto ele quanto as pessoas que passam olhando. Quando percebo que ele se acalmou, abaixo na sua altura, converso, explico de novo o porque que não pode determinada coisa. Sinceramente, na maior parte das vezes não adianta. Ele chora e chora até outra coisa chamar atenção.

sinequia vaginal]

O que fazer então? Bom, você pode fazer o que quiser, menos dar o que a criança está solicitando. O melhor mesmo é não perder a paciência, explicar porque não pode (mesmo quando parece que eles não estão entendendo nada) e ser firme. Agora é a hora de mostrar que tudo na vida tem limites e nem sempre eles poderão ter tudo o que querem.

Não é fácil, principalmente quando você está no shopping ou mercado e é cercada por olhares reprovadores que parecem dizer “Nossa, você não sabe educar seu filho?” ou pior ainda “Meu filho nunca vai fazer isso” e você saber que em algum momento da vida a pessoa se arrependerá de ter me dado aquele olhar tão repreensivo.

Vítor já aprendeu a cair na hora da birra, ele vai deitando em camera lenta no chão, principalmente quando só falta a cabeça. Eu não o ignoro totalmente, antes eu converso explico que não pode e que não vai adiantar ele chorar. Se ele continua chorando e estamos em casa, eu o deixo ali até se acalmar, se estamos em lugar público eu me abaixo até ele e continuo dizendo que não vai resolver o choro, até ele parar.

A verdade é que depois de 5, 6 vezes da mesma birra, por conta da mesma coisa, a vontade é de dar logo o que ele quer e pronto, fim de papo. Eu já fiz isso. Que mãe que nunca fez? Não é bom ouvir uma criança chorar, ainda mais quando ela é seu filho e muitas vezes estamos cansados e pronto, damos logo o que eles querem.

A boa notícia é que eles não se transformarão em rebeldes sem causa pro conta de uma vez que a gente cedeu, o que não pode mesmo é fazer disso uma regra, qualquer hora que ele chorar ganhar o que quer. Eles precisam conhecer limites, é extremamente importante para o crescimento, amadurecimento e aprendizagem da educação, mas isso deve ser feito sempre com muito amor.

Tem pais que ameaçam bater quando a criança faz birra ou fala “engole o choro”, quando o melhor mesmo é deixar que ele chorem e aprendam que aquele comportamento não adiantou em nada.

Educar é tarefa difícil e deve ser sempre feita com muita responsabilidade, né?

Beijos,