O universo paralelo das mães

29 de ago de 2012

Quando o Vítor ainda não fazia parte da minha vida, eu olhava para as mães que conhecia – especialmente as mães de filhos pequenos –  e acreditava que elas viviam do mesmo jeito que eu. Nunca imaginei que existia um universo paralelo em suas vidas cheio de coisas totalmente diferentes e impensáveis da minha.

Olhando para aquela minha amiga, mãe de uma menina de um ano, nem passava pela minha cabeça que ela tinha tido uma noite turbulenta, com criança chorando, pedindo peito/colo. Ela estava ali tão bem que parecia ter dormido as mesmas 8h que eu. Falando em sono, dormir menos que 8h era realmente coisa de outro mundo pra mim. Eu ficava extremamente mal humorada, com a cabeça pesada e no fim do dia estava só o pó.

E quando encontrava alguma mãe “louca” vendo seu filho se esperniar no chão do shopping e não fazia nada? “Jamais vou deixar meu filho fazer uma coisas dessas!” eu pensava, inconformada. E mais uma vez aparece o universo paralelo das mães, que a gente só consegue entender mesmo depois que nos tornamos uma. Certa ela de deixar a criança fazer birra e mostrar que aquele comportamento não há fará ter tudo que quer. Hoje penso que ela deveria estar morrendo de vergonha da situação, mas que jeito?

Um assunto básico do universo parelelo: cocô. Quem diria que um dia eu ia me preocupar com esse tipo de assunto e mais que isso, ia sair perguntando para outras mães sobre o cocô dos filhos delas? Pois é! qualquer mudança na cor ou textura vira assunto sério!

Nesse novo universo há muitas outras coisas escondidas, como a arte de almoçar em 3 minutos com um bebê no colo, conseguir olhar para 2 ou mais lugares ao mesmo tempo, cantar mesmo desafinada, sorrir mesmo quando está triste. Nele também há o primeiro “eu te amo”, a primeira gargalhada, primeiros passos e coisas só quem é mãe entende!

Beijos,