Parto normal: medos e inseguranças

10 de abr de 2014

Hoje eu acordei com medo! Quem me acompanha, sabe da minha história, da minha cesárea e de todo amadurecimento que tenho passado em busca de um parto natural, se possível, sem intervenção alguma.

Eu cresci e amadureci muito com relação a partos desde que o Vítor nasceu. Lendo e pesquisando(aconselho vocês a fazer o mesmo!) fui aprendendo dos benefícios do parto normal, desmistifiquei muitas das coisas que eu pensava sobre o parto normal e vi que não são bem assim como as pessoas falam e acreditam.

Acredito que nessa minha busca de conhecimento, o medo é normal de aparecer, principalmente quando se trata de algo que desconhecemos. Não sei como meu corpo se comportará no trabalho de parto, não sei como é a dor tão temida do parto e tudo isso me assusta um pouco. Continuo firme e forte na minha decisão de ter parto normal, cada dia minha certeza e vontade aumentam!

Quem não teve medo do parto normal antes de passar por ele? Acredito que ninguém, né? Eu tenho muita sensibilidade a dor e isso que me causa um certo medo e receio. Tenho aprendido muito sobre relaxamento, em como ele pode auxiliar – e muito – na hora do dor, para aliviar e fazer com que esse momento não seja de tensão.

medos do parto

Escrevi este texto no dia 6 de dezembro de 2013 e ele tinha ficado esquecido aqui nos rascunhos do blog. Lendo hoje, me lembrei de toda insegurança que sentia com relação ao parto naquela época, no tanto de coisas que eu li depois disso para me sentir segura.

Hoje posso afirmar que ter me informado e me preparado para o parto foi essencial para que tudo acontecesse de forma tranquila. O relaxamento que eu cito no texto realmente fez toda a diferença. Permanecer relaxada foi muito importante e acredito que isso tenha feito com que meu parto tenha acontecido de forma mais rápida e sem o descontrole da dor.

Percebi também o quanto foi importante eu trabalhar meus medos antes do dia do nascimento. Por pra fora tudo que eu sentia e pensava a respeito. Me lembro que no dia do parto, quando minha amiga chegou aqui, uma hora estávamos na cozinha e eu falei pra ela que estava com vontade de chorar. Ela me perguntou porque e eu disse que estava com medo. Ela me abraçou e eu chorei. Foi pouco tempo, mas o suficiente para que eu colocasse para fora os últimos medos e inseguranças antes de entrar no trabalho de parto ativo. Me permitir chorar e admitir que eu estava com medo foi a melhor coisa que fiz. Mesmo sem dizer nada, o abraço de conforto da minha amiga fez com que a segurança que eu precisava sentir chegasse e não me deixasse mais até o fim do parto.

Quis compartilhar com vocês meu texto lá de dezembro e poder dar minha opinião hoje, depois de já ter passado por tudo, pois quem sabe assim consigo ajudar de alguma forma quem ainda vai passar por isso, né?

Beijos,