Parto pélvico: relato

22 de dez de 2014

Quem conta o relato de parto de hoje é a Claudia Toledo.

Quando descobri que estava grávida da minha primeira filha, eu já estava com quase 5 meses de gravidez, minha menstruação veio normal até o 4 mês e como eu tinha uma barriguinha meio saliente nem desconfiei, fui ao médico que pediu os exames de rotina e uma USG.

Voltei ao médico e todos os exames estavam normais e pela USG, ele me falou que a DPP seria 13/10.

Beleza então… Falei ao meu médico que queria Parto Normal, acho que por ter feito o curso de Biologia, feito aulas de anatomia, embriologia…, além de lembrar o quanto a minha mãe sofreu com a cesárea que ela fez, quando teve a minha irmã caçula, contribuíram com a minha decisão. Meu médico NUNCA questionou a minha decisão.

E outra coisa: EU NÃO QUERIA SABER O SEXO DO BEBÊ ANTES DO PARTO.

Muita gente falava que tanto Parto Normal, quanto não saber o sexo do bebê era coisa dos antigos… blá blá blá… E eu nem me importava…

Depois que descobri a gravidez minha barriga fez puf e cresceu, mas ficou pequena comparada a da gravidez do Pedro… kkk

O pré-natal seguia normal até que no dia 06/09 (quinta-feira), fiz uma USG que constatou que meu bebê estava pélvico, ou seja sentado… E agora???

No mesmo dia levei o resultado ao meu GO que disse que com o tempo de gestação que eu estava seria MUITO difícil de virar e que seria complicado o PN. Ele me perguntou qual era a DPP, respondi dia 13/10, então ele disse que na próxima consulta poderíamos marcar a Cesárea para 15/10.

Cheguei em casa arrasada… Chorei… Chorei… Chorei mais….

Até que o senhor que estava terminando o quarto do bebê, me ouviu chorando e conversando com a minha mãe sobre o que o médico havia me dito, e perguntou se eu aceitava que ele orasse por mim mesmo ele sendo de uma religião diferente da minha. Disse que poderia, que o importante era a fé.

Depois da oração dele eu também fiz a minha e disse na minha oração: “Senhor que seja feita a Tua vontade e não a minha… Às vezes eu não iria aguentar o PN, e o Senhor está me mostrando isso com a posição do bebê… Apesar de querer MUITO ter o Parto Normal, se essa não for a Tua vontade Pai, eu aceito”.

E pensando nisso falei para a minha mãe que já que ia ter que fazer cesárea eu ia perguntar ao meu médico se ele não fosse viajar no feriado ia pedir para ele fazer o meu parto no dia 12/10 – Dia de Nossa Senhora Aparecida.

Mas não deu tempo, no domingo 09/09, acordei com uma mancha escura na calcinha (hoje sei que era o tampão que estava saindo), ligamos para o médico que pediu que eu ficasse de repouso e fosse no consultório no outro dia.

Passei o dia bem, apenas muita vontade de soltar pum… Quando chegou a noite eu estava com “dor de barriga” (hoje sei que já era TP), toda hora indo ao banheiro e nada de sair nada…

Tomei um banho e fui deitar, me lembrei que não tinha jantado, no que levantei da cama, vomitei, tudo o que eu tinha almoçado e lanchado…

Minha mãe ligou para o médico que disse que era má digestão, mandou me dar um remédio para enjoo e má digestão, ela me deu um chá de folha de erva-cidreira, que até hoje não posso lembrar que sinto o cheiro e o gosto ruim na boca, mas não adiantou, vomitei de novo… Tomei outro banho… E aí as “dores de barriga” aumentaram, achei que era porque já tinha uns 2 ou 3 dias que não conseguia evacuar… Até que minha mãe falou que eu não podia fazer força, por causa do meu tempo de gestação e quando eu disse que eu não estava fazendo força, a força fazia sozinha… Então ela percebeu que eu estava tento era contrações…Ligou para o médico que receitou um medicamento para segurar o bebê já que era prematuro. Até hoje minha mãe fala que como ela mãe de 3 filhos não tinha percebido que eu estava tendo contrações.

Quando minha mãe percebeu que as dores estavam cada vez mais frequentes, ligou para o médico de novo e mandou irmos naquela hora para o hospital…

Não acreditava que estava em TP, eu ainda nem tinha me acostumado com a ideia de ser mãe, eu ainda tinha 1 mês pela frente…

Parece que foi uma eternidade para chegar ao hospital, chegando lá meu médico tinha acabado de chegar e pediu que eu entrasse em uma sala e tirasse a calça, quando abaixei e vi aquele tanto de sangue entrei em desespero, novamente na maior calma ele pediu que eu me deitasse na maca, a enfermeira me ajudou a deitar quando ele estava colocando a luva já falou pra enfermeira que era para me levar para a sala de parto, eu estava com dilatação completa…Enquanto isso chamaram o pediatra de plantão.

Assim que o pediatra chegou, só me lembro do médico pedindo que eu fizesse força e depois me perguntando se eu sabia o sexo do bebê e eu disse que não e ela falou: Estou vendo aqui que é uma menina, faz mais força… E eu fazia força…

Demorou mais o pediatra chegar e depois a placenta sair do que ela nascer… O meu GO disse que se ela estivesse encaixada tinha nascido em casa ou dentro do carro de tão rápido que foi o parto.

Mal deu tempo da minha mãe fazer minha ficha no hospital. Para se ter uma ideia, minha mãe deve ter ligado para o médico a primeira vez falando que eu tinha vomitado, deve ter sido por volta das 21 ou 22h. Iasmin nasceu era 2:50 do dia 10/09 com 44cm, e 2295g e as notas de apgar dela forma melhores que a do meu segundo filho que nasceu de 39 semanas…

Depois que ela nasceu, pelo fato de ser prematura o pediatra levou ela para outra sala para examinar, trouxe ela e perguntou para o meu médico se tinha certeza que era um bebê prematuro… Pelo fato de ser prematura o pediatra por precaução deixou ela na UTI, até as 9 da manhã, sendo que ela ficou no oxigênio apenas até as 6h.

Outra coisa, o pediatra só me deu alta no terceiro dia, pois ele queria examinar minha filha, por ter nascido pélvica ela poderia ter tido luxação na bacia, mas graças a Deus ela não teve nada.

Será que se eu tivesse com os 9 meses completos eu teria conseguido ter PN? Só sei dizer que meu parto foi MUITO abençoado, aliás meus dois partos foram.

Hoje ela tem 13 anos e é essa moça linda que está na foto!!

parto pelvico parto pervilco1

Então acho que ela estar sentada foi providência Divina, pois justo nesse final de semana estávamos sem carro, e tivemos que pedir para meu tio que mora pertinho de casa nos levar ao hospital e por coincidência (ou providência) eles também estavam sem carro, mas a sobrinha havia viajado no feriado e deixou o carro na casa deles. Pois imagina com toda essa demora do meu tio chegar, e até chegar no hospital se ela estivesse encaixada tinha nascido ou em casa ou no carro mesmo…

Beijos,