Por que com o segundo filho é diferente?

04 de maio de 2015

Quando eu estava grávida da Mariah fiquei muito mais tranquila do que na do Vítor. Eu já sabia como era ser mãe, sabia o caos da adaptação inicial e já estava acostumada a não dormir a noite inteira. Eu não tinha ideia de como seria, mas sabia que seria mais fácil.

O segundo filho chega em um ambiente que já está preparado para recebê-lo, com pais experientes que não vão se desesperar a qualquer coisa que parecer sair fora do lugar. Mesmo assim, um filho não é igual ao outro e por isso que a vivência se torna diferente também.

Ao mesmo tempo que a adaptação é mais tranquila, ter agora 2 filhos (muitas vezes com a diferença de idade pequena) é uma aventura e tanto. Todo aquele tempo e atenção que tínhamos no primeiro – e que achávamos não ter mais tempo pra nada! – agora precisa ser divido com o segundo. Na verdade essa divisão é bem injusta no começo, já que o bebê precisa de muitos mais cuidados do que o mais velho.

2

Aí nós, mães, começamos a sambar na maternidade para conseguir dar conta de tudo e descobrimos o quanto de tempo tínhamos antes do segundo – terceiro, quarto… – chegar! E agora? Adaptação de novo, mas desta vez ela é menos sofrida. Pelo menos foi assim aqui em casa. Não tinha aquele sofrimento emocional que o cansaço dos primeiros meses com um bebê tem.

Vem o cansaço físico, exaustivo, mas a cabeça lida melhor com tudo isso. Depois que essa adaptação passa, que o bebê vai crescendo, você consegue dar mais atenção de novo para o mais velho. Consegue pensar sobre o que fazer, em qual momento poderá ser só de um ou de outro.

Claro que com o segundo filho é diferente, tinha que ser, mas a gente fica com a sensação que uma vez mãe, seremos a mesma mãe para sempre. E, na verdade, quando vem mais um filho descobrimos que todos os dias somos uma nova mãe, sempre melhorando, sempre mudando!

Beijos,