Primeira vez longe do meu pituco

11 de dez de 2012

Na quarta-feira passada, fui para São Paulo em uma reunião com a Natura e pela primeira vez precisei deixar o Vítor com meu marido e ir sozinha. Confesso que quando soube da viagem me bateu um misto de sentimentos, a euforia de saber como seria e a dor no coração de deixá-lo aqui.

Bom, foi somente um dia, mas já deu pra notar que ficar longe dos nossos filhos não é fácil!

Eu sai bem cedinho, ele foi até o aeroporto com meu marido, eu dei um beijo de tchau e claro que ele não chorou, nem nada, por não entende ainda, né? Eu que me senti estranha com vontade de voltar pra trás e levá-lo comigo!

Em São Paulo passei um dia super gostoso e corrido, então entre uma pausa e outra ligava para saber se estava tudo bem. Me deu vontade de vê-lo, mas não foi nada demais, fiquei entretida com os acontecimentos.

No fim do dia fui para o hotel e aí o bicho pegou. O quarto era lindo, enorme, grande demais só para mim! Fui direto pro banho (porque tinha passado mal no caminho de volta pro hotel, mas a gente esquece essa parte!) e depois deitei na cama. Fiquei ali uns minutos curtindo a tranquilidade de deitar sem ter preocupação com o Vítor.

Eu sabia que ele estava ótimo aqui, passou o dia na casa da vó brincando com os primos e nem sentiu falta da mamãe.

A ambiguidade de sentimentos ficou comigo, eu estava adorando aquela tranquilidade toda, mas me dava uma agonia danada pensar que ele estava longe e eu só o veria no dia seguinte.

Fui jantar com a minha prima num shopping e aproveitei – claro! –  pra fazer umas compinhas. Eu estou precisando demais de roupas novas, mas nem lembrei disso, comprei várias coisas para o Vítor e pro marido.

Voltei pro hotel, deitei e aí bateu forte a saudade. Vontade de voltar correndo, abraçar, beijar e não desgrudar mais. Capotei. Dormi direto, sem acordar até 7:13. Nunca fui de acordar cedo, mas me habituei a acordar essa hora, por conta do Vítor. Olhei no relógio, dei uma enroladinha na cama e desci pra tomar um café.

Fui pro aeroporto, de lá direto pra casa da minha sogra ver meu pequeno.

Quando cheguei ele estava quase dormindo e quando me viu já abriu os bracinhos. Impressionante como o cheirinho dele parecia tão forte e tão gostoso quando finalmente opeguei no colo!

Ele demorou bem uns 5 minutos pra captar que a mamãe tinha voltado, antes disso estava deitado no meu colo, quietinho. Mas quando notou que era a mamãe ali, não quis mais saber de dormir e ficou um grude comigo o tempo inteiro.

A experiência foi boa demais, mas melhor de tudo foi voltar pra casa e sentir tanto amor por uma pessoinha tão pequena!

Beijos,