Como proteger a pele do bebê do sol

26 de nov de 2013

Como proteger a pele dos bebês do sol

A pele do bebê é sensível, fina e frágil. As características da pele do recém-nascido, dos lactentes e das crianças determinam maior suscetibilidade a agentes externos potencialmente prejudiciais e facilitam o aparecimento de lesões. Além disso, essa mesmas peculiaridades limitam o uso de substâncias tópicas em crianças, o que demanda um cuidados especial dos pais.

Em tempos de calor, a fotoproteção é indispensável para os pequenos.

Fotoproteção pode ser definida como um conjunto de medidas destinadas a reduzir ou atenuar a exposição da pele à radiação solar e, desta forma, minimizar seus efeitos danosos.

proteger a pele do bebê

Como proteger a pele dos bebês do sol

Roupas – as roupas são um excelente método mecânico de fotoproteção, principalmente contra a radiação UVB. Os tecidos variam em suas características e assim a sua capacidade protetora. A alta proteção está associada a tecidos de lã ou poliéster, secos e de cor escura.

Chapéus – a capacidade de proteção depende das características do tecido utilizado. São recomendados chapéus confeccionados com tecido de trama mais intensa, com formato circular para cobrir a face e a nuca e com aba de tamanho grande.

Óculos – crianças são mais suscetíveis aos danos oculares determinados pela radiação ultravioleta. A falta de proteção pode promover alterações oculares patológicas como a fotoceratite e a catarata. Para a adequada proteção ocular é recomendável o uso de óculos escuros, preferencialmente aqueles com capacidade de absorver acima de 99% da radiação ultravioleta.

Fotoprotetores tópicos – o Protetor Solar

É um dos principais elementos dentro das estratégias educativas de fotoproteção. O uso de protetor solar está recomendado diariamente para todas as faixas etárias acima de seis meses de idade. A prescrição de protetor solar a crianças abaixo de seis meses não é recomendada pelas autoridades sanitárias, pois não há dados toxicológicos suficientes para atestar sua segurança.

Aplicação – 15 minutos antes da exposição e 30 minutos antes da imersão em água. Prefira realizar a primeira aplicação em casa, antes de vestir a roupa. A aplicação deve ser feita com calma e atenção para não esquecer nenhuma área do corpo.

Reaplicação – a cada 2 horas ou após longas imersões em água.

Fator de proteção e características – prefira sempre os protetores solares com FPS superior a 30 e resistentes a água, sem fragrâncias ou com fragrâncias suaves não alergênicas.

Um bom verão para todos depende da adequada fotoproteção! Fique atento!

Fonte: I Painel Latino Americano de Cuidados com a Pele Infantil; Livro – Dermatologia Pediátrica.

Importante: Segundo o Conselho Regional de Medicina (CRM), a informação médica via Internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o paciente e o médico. Pelas suas limitações, não deve ser instrumento para consultas médicas, diagnóstico clínico, prescrição de medicamentos ou tratamento de doenças e problemas de saúde.

Artigo escrito por: Dra.Camila Mendes Macca – CRM-SP 130.002 – especialista em Alergia e Imunologia. Para entrar em contato com ela, clique aqui e acesse seu site ou pela sua fanpage Clínica de Pediatria Primeiro Passos.

Gostaria de ver algum artigo aqui? Mande sua sugestão para mah@vidadegestanteemae.com.br

Beijos,