Rotina de uma mulher que é só mãe

13 de jan de 2016

Todo dia acordo cedo pelos despertadores mais convincentes do mundo: meus filhos. Não importa se fui dormir tarde, ou se eles também foram, logo pela manhã, tipo umas 6:30 já está todo mundo de bateria cheia correndo pela casa.

Sem opção para dormir mais, levanto meio dormindo e vou para cozinha preparar o café. Vejo o que tem disponível, dou algumas opções para as crianças e eu preparo a primeira refeição do dia. Gosto de variar para que eles não enjoem das coisas.

Depois que todo mundo comeu e eu tomei um copo rápido de leite, ligo a TV e deixo que se distraiam para tentar lavar a louça que sujou. Quando não temos ajudante a gente aprende que não dá para acumular pratos e copos na pia, senão parece que tudo só piora.

Vou para sala e me transformo em diversas coisas: professora, super herói ou construtora de aviões de papel. Tem dias que estou muito animada para as brincadeiras e dias que o que eu mais queria era ficar quieta no meu canto, mas não tenho opção de escolha. Criança entediada é criança aprontando, então prefiro entretê-las com alguma diversão.

Lá pelas 10h começo a pensar no almoço e começa a saga para cozinhar. Não faço nada muito complexo, porque não tenho tempo para isso. As crianças não podem ficar sozinhas por muito tempo na sala e eu preciso me dividir entre as panelas e os brinquedos. Muitas vezes aproveito para dar o lanche da manhã e ter uns 15 minutos de tranquilidade enquanto eles comem. Nem sempre isso funciona e algumas vezes eu preciso ajudá-los.

11:30 almoço pronto e hora de dar comida aos pequenos. Faço os pratos, chamo uma, duas, três vezes, até avisar que não terão nova chance. Tem dias que é tudo super tranquilo e dias que são o caos. Enquanto os ajudo a comer, separo as roupas para lavar ou então penduro as que já estão batidas na máquina. Aproveito para comer também. Nem sempre meu marido consegue chegar no mesmo horário e nem sempre consigo esperá-lo para o almoço. Faz parte.

Quando ele chega faz festa com as crianças e vai almoçar enquanto eu faço a pequena dormir. Esse tempo que ela dorme é ótimo para…

Agilizar as coisas, porque nem pensar que vou “desperdiçar”esse tempo descansando e depois não conseguir fazer tudo que precisava. Tem dias que preciso passar um pano na casa ou então passar roupa. No meio desta loucura tento trabalhar um pouco, quase inútil.

O filho mais velho quer atenção, já que a pequena acaba exigindo mais de mim quando está acordada e eu fico no impasse entre ficar com ele ou terminar o que eu preciso. Opto pelo que meu coração mandar no dia.

Lá se vão, com sorte, umas 2h, onde eu consegui terminar bastante coisa, entre ficar sendo puxada pelo mais velho e tentando me concentrar em alguma coisa. Ele não dorme mais durante o dia.

A pequena acorda toda animada e com essa chuva não tenho mais muita opção do que fazer. Tento pensar em alguma coisa diferente e rezo para que a chuva passe e possamos descer no parquinho. É ótimo quando dá!

O dia voa e quando percebo, já é hora de dar banho e jantar. Separo as roupas, vamos os 3 para o banheiro, dou banho em um enquanto o outro brinca, depois trocamos e fim de banho. Reclamações já esperadas porque queriam brincar mais, mas não dá para desperdiçar água.

Todos para cozinha e começa a saga igual do almoço.

Enfim sinto que meus deveres do dia estão terminando. Pelo menos deveriam, já que a noite chegou, junto com meu marido.

Ele janta, eu janto, ficamos todos na sala brincando até dar a hora de dormir. A gente reveza, cada dia um que põe um filho na cama. Assim não pesa para ninguém. UFA! Eles dormiram!

Corro para a área de serviço, quando meu marido fala:

– O que você vai fazer?

– Passar roupa, já tem muita acumulada!

– Mas você precisa descansar… É, eu sei, mas não tenho essa opção.

Passo toda a roupa que der, até não aguentar mais. Me lembro que ainda não tomei banho. Vou tomar banho e fico pensando em como queria sentar no sofá por 15 minutos para assistir qualquer bobagem na TV enquanto como alguma coisa bem gostosa.

Mas já é bem tarde e eu estou muito cansada. Desisto da ideia. Deixa o descanso para outro dia.

Deito na cama e antes mesmo de pensar em alguma coisa já acordo com as crianças. Mas será possível? Já está de dia!

E assim começa tudo de novo na minha rotina de mulher que tem sido “só” mãe.

Beijos,