Sobre o desenvolvimento infantil

24 de set de 2012

É fato que toda criança tem seu próprio ritmo, mas que mãe nunca foi dar uma conferida em o que é esperado para aquele mês? Confesso que estava um pouco preocupada com o Vítor, pois acabava vendo crianças da mesma idade que ele fazendo mil coisas e ele parecia não evoluir.

Como mãe e psicóloga, comecei a pesquisar sobre atraso no desenvolvimento e a tentar entender porque ele não estava no mesmo caminho das outras crianças. Até viajarmos, até ele ficar em contato direto com primos e bebês, até ele começar a fazer mil coisas novas e até eu entender que realmente não dá para comparar, que assim que ele teve estímulo, deslanchou.

Percebi que eu – assim como quase todas as mães que conheço – estou sempre querendo que ele faça coisas que ainda não é da idade dele e que quando um bebê faz algo inesperado, todo mundo fala algo do tipo “Nossa, que bebê esperto!”. Nunca tinha parado para pensar que o normal é a criança se desenvolver de forma gradativa e que saudável mesmo é ela não pular fases. Por que será que sempre queremos que nossos filhos saibam mais que os outros?

No post de 11 meses contei as várias coisas que ele aprendeu neste mês que passou e o maior destaque foi para o engatinhar. Meu menino não queria saber de engatinhar de jeito nenhum, queria mesmo era ficar em pé e fiquei preocupada, pois é tão importante que a criança engatinhe para aguçar sua curiosidade entre coisas. Aí quando eu menos esperava lá foi ele engatinhando para todo lado. Agora ele se segura em tudo e já anda agarrado nos móveis, foi tudo muito rápido!

Depois dessa experiência, aprendi que ele vai se desenvolver conforme suas necessidades e que não adianta eu me preocupar com isso. Claro que é importante saber o que é esperado para a idade e ficar de olho se não há um atraso real no desenvolvimento, mas percebi que não dá para padronizar todas as crianças, pois cada uma tem seu ritmo.

Beijos,