Um dia de tia

05 de jun de 2011

>

Alícia e eu
Ontem meu irmão, minha cunhada e sobrinha vieram nos visitar! Apesar de ter sido uma disputa aqui entre eu e meus pais de quem ficaria com a pequena, minha sobrinha tem 3 meses e se chama Alícia, ela acabava sempre no meu colo. Fiquei me imaginando com o meu daqui uns meses, vendo seus sorrisos, gestos e em toda felicidade que ele trará. 
Enquanto todo mundo foi conhecer a casa nova (meu pais estavam de mudança, lembram?), nós ficamos no meu quarto brincando com uns ursinhos de pelúcia. É lindo ver o rostinho dela de feliz observando e pegando coisas tão diferentes e novas para ela. Quando ela quis chorar, logo levantei da cama, comecei a passear pela casa, conversando, contando como estavam as coisas aqui e ela parou de chorar, me olhando atentamente.
Outro dia, quando fui visitá-los, a Alícia estava no meu colo e começou a chorar sem parar, eu fui ficando desesperada, andava de um lado pro outro, cantava, punha chupeta e nada, até que desisti e chamei minha cunhada. Na hora que ela foi para o colo da mãe, pronto, parou o choro e voltou a sorrir.
Fiquei pensando nesse “poder” que as mães tem, impressionante como um bebê tão pequeno sabe onde encontrar segurança e conforto. Imaginei se meu filho também será assim, que uma hora vai querer apenas meu colo e nada mais.
Até hoje foi desse jeito, fiquei com as crianças brincando enquanto elas não choravam, quando começavam e eu não conseguia fazê-las parar, logo passava para o pai ou a mãe. Mas e quando for o meu filho que não quer parar de chorar? Como vai ser? O que eu vou fazer? Me pergunto muito sobre essas coisas e meu medo maior é: eu vou dar conta?
Talvez minha insegurança venha do fato de não morar perto da minha família e a família do meu marido também ficará longe de nós (esse é papo para outro post), então estarei sozinha – com meu marido – com um bebê para cuidar. Claro que minha mãe já avisou que ficará uns tempos lá comigo e tenho certeza que minha sogra também estará disposta a ajudar, mas uma hora seremos só nós três.
Acredito que todas essas dúvidas e inseguranças passarão com o tempo, né?
Minha cabeça anda cheia de dúvidas, pois muitas mudanças estão por vir, mas eu vou contando todas com o tempo!!
Por fim meu dia foi delicioso, aquele clima de criança em casa, risadinhas, chorinhos, “mamás”, trocas de fraldas e por fim ela dormiu tranquilamente no meu colo até a hora de ir embora.
Foi ótimo!
Beijos!