Uma toxo em minha vida!

21 de maio de 2011

>

Fiquei grávida do meu namorado, hoje meu marido, aos 23 anos e confesso que não entendia nada de bebês. Nunca tinha pego uma no colo e a gravidez caiu como uma bomba na MINHA vida. Eu morava em outra cidade onde fui fazer faculdade, longe da minha familia, estava no último ano e confesso que minha única preocupação era meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)., pra piorar meu namorado foi demitido do trabalho. Por ser estagiária tinha grana curta e não podia pagar um plano de saude, acabei fazendo meu pré natal em uma clinica “meia boca” que cobrava consultas a 10 reais, ja viu né, o medico so olhava pra cara da gente media a barriga e mandava fazer hemograma, exames de fezes e urina…
Dos exames obrigatorios, lembro como se fosse hoje, ele pediu rubeola, sifilis, aids e tipagem sanguinea e uma ultrassom para ver idade gestacional. Isso por volta dos tres meses. Nessa epoca lembro que teve um surto de dengue e eu adoeci achava que estava com dengue pois tive uma baixa de resistencia muito grande e perdi 5 kg em uma semana. Voltei no medico e ele no seu achismo disse “voce deve ter tido dengue e isso baixou seu sistema imunologico”, me passou um coquetel de vitaminas que tomava diariamente na veia ate me restabelecer.
“MAL SABIA EU QUE TINHA SIDO INFECTADA POR TOXOPLASMOSE”. Me recuperei e a gravidez foi transcorrendo normalmente. Minha cesariana estava marcada para o dia 26 de janeiro de 2000, dia 06 de janeiro meu filho nasceu prematuro e com sequelas da Toxoplasmose que tive e que não foi diagnosticada. O medico não soube explicar o motivo do bebe ter vindo prematuro. Meu filho foi avaliado e recebeu alta, chegamos em casa e a noite voltamos correndo para o hospital – Rodrigo estava com 40 g de febre.
Comecei a me sentir mae no momento que vi aquele ser tão pequeninho cheio de agulhinas na cabeça recebendo soro e medicação – foram as unicas veias que encontraram para furar. No hospital descobrimos que ele estava se medicando porque havia passado por uma infecção neonatal grave devido a sua baixa imunidade. Fizeram uma bateria de exames para tentar descobrir o que estava causando a febre. Nesse momento o amor pela vida do Rodrigo falou mais alto e todos se uniram para custear as despesas do hospital.
Enfim veio o diagnostico de toxoplasmose no Rodrigo, fizeram entao o de avidez em mim e finalmente a certeza: eu havia contaminado meu filho com toxoplasmose. Me senti impotente diante daquela situação. A medica disse que eu nao podia me sentir tão culpada, que o Rodrigo havia sido vitima de uma sequencia de erros, da nossa inexperiencia e principalmente da negligencia do meu obstetra, que agora eu tinha que olhar para frente porque as sequelas só veríamos com o tempo se ele teria algo e que eu tinha que ter força e coragem para lidar com elas. Mesmo que fosse cegueira, a deficiencia mental, a surdez, as calcificações… ele iria precisar de mim.
Felizmente a cicatriz no olho direito do meu filho não atingiu a retina, as multiplas calcificações cerebrais que ele tem ate hoje não trouxeram nenhuma convulsão e estou aprendendo dia a dia a criar um lindo menino com uma deficiencia mental leve (principal sequela da toxoplasmose aos 3 meses de gestação) ele ainda não aprendeu a ler mas conseguiu fazer parte da formatura do abc porque conseguiu escrever seu nome, ele estuda numa escola de inclusao e graças a DEUS tem feito grandes progressos.
A 10 ANOS APRENDI A SER MÃE, E HOJE SOU EXCLUSIVAMENTE MÃE, deixei de ser aquela patricinha para ser a mãe do Rodrigo, aquela que não tem mais tempo de ir a salão porque tem que levar o filho para terapia, aquela que não tem mais o sapato da moda porque tem que pagar escola cara para o filho… mas mesmo assim confesso HOJE SOU MUITO MAIS FELIZ!

——————————————————————————-

Como ontem escrevi sobre a toxoplasmose, hoje quis deixar para vocês um depoimento de uma amiga que passou por isso. Ela se chama Vanessa e escreve no blog Brenda e Rodrigo.