Viajando com recém-nascido

03 de nov de 2011

Oie! Como muitas de vocês sabem, eu tive o Vítor na cidade dos meus pais, já que me mudei a pouco tempo e não conheço nada na cidade nova.

Desde antes dele nascer, eu já tinha falado para o médico que eu queria voltar o quanto antes para casa, pois meu marido só conseguiria ficar 10 dias comigo e eu não queria que ele perdesse esse começo da vida do Vítor. Ele disse que tudo bem, só dependeria do pediatra.

No dia em que o Vítor nasceu já perguntei pro pediatra quando eu poderia ir embora, ele riu e disse “Quando você quiser ué!”, então marcamos a consulta pós parto com o obstetra e com o pediatra para 8 dias depois para podermos programar minha volta.

Depois dos dois médicos terem dado o “ok”, comecei arrumar as coisas – e poe coisas nisso, viu? Meu marido veio 3 dias antes e meus pais vieram me trazer depois. Eu estava bem ansiosa com essa primeira viagem, ainda mais pelo fato do Vítor estar apenas com 12 dias!

“Mamãe me tire daqui!”

Foi suuper tranquila a viagem, pois o pequeno não deu trabalho nenhum, eu que passei mal horrores, tive bastante enjôo. De qualquer forma, vou deixar aqui algumas dicas de acordo com a minha experiência:

– Faça uma malinha de mão com várias roupinhas extras, fraldas, pomadas para assaduras e toalhinhas de boca;

– Compre um protetor para pescoço de bebê, pois eles ainda não tem firmeza e a cabeça fica balançando com o chacoalho do carro;

– Leve uma toalha de mão para qualquer imprevisto;

– Deixe uma manta para fora, caso esteja meio frio ou o carro fique com o ar condicionado ligado;

– Compre aqueles protetores para por no vidro do carro, para evitar o sol batendo no bebê;

– Se você tem problema de enjôo como eu, tome um dramim antes (veja com seu médico se pode, eu não tomei, porque não sabia que passaria tão mal) e leve um saquinho para qualquer emergência;

– Programe as paradas para amamentar, trocar fralda e comer, que deve ser feita a cada 2h mais ou menos, assim evita de ter que amamentar no carro, coisa que eu precisei fazer e não foi nada confortável;

– Não esqueça do bebê conforto, que além de ser obrigatório, protege nossos pequenos!

Bom meninas, é isso! Agora já estou em casa, colocando tudo em ordem e o Vítor já está dormindo no quartinho dele, assim, quando ele dorme a noite, né? Tá difícil!

Beijos