Vida de mãe em Jerusalém

30 de ago de 2014
Meu nome é Rivka, tenho 24 anos, e moro em Jerusalém- Israel há um ano, junto com meu marido e meu filho, meu bebê completa 5 meses no próximo dia 6, ele nasceu prematuro, um dia antes de eu completar 35 semanas.
 No começo foi difícil, ele ficou uma semana na Unidade de tratamento intensivo, com problemas respiratórios, o que é normal pelo tempo em que ele nasceu, mas agora ele está ótimo, super saudável, lindo e brincalhão.
Temos certas facilidades aqui, como a maioria dos trabalhos das mulheres é das 08:00 as 15:00, pra dar tempo de as mães pegarem seus filhos na escola, pq aqui isso é mto valorizado, q a mãe esteja em casa quando os filhos voltem da escola, pra dar carinho, atenção e amor, e a criança só se sente verdadeiramente em casa, quando é recebido pela mãe, a mãe é a referência de Casa da criança, então aqui a maioria das mães fazem questão de buscar seus filhos na escola todos os dias, independente do trabalho que tenham.
As escolas e jardins funcionam, até as 15:00, 16:00, e depois disso as crianças vão pra casa.
Outra facilidade aqui, é q como tem mtas crianças, mto mais crianças q adultos, mtas mulheres colocam jardins em suas casas, montam uma mini creche em casa, e cuidam de umas 10 crianças e bebês em casa, pq as mães voltam a trabalhar quando o bebê completa 4 meses, então essas cuidadoras em casa é mto bom, e sai mto mais barato do que uma Baby siter.
Outra facilidade que temos, é que em todos os lugares há parquinhos enormes pra crianças, e como aqui é mto seguro, a taxa de homicídios, assaltos, roubos é mto baixa, então, não tem perigo de deixar as crianças brincando, e se tem por acaso uma mãe junto, ela olha todas as crianças, aqui todo mundo se ajuda mto em tudo, pq todas tem as mesmas dificuldades, todas vivem super cansadas, mas vivem, são felizes assim.
E na opinião delas, não tem coisa melhor do que uma casa cheia, a gente do Brasil é outra realidade, hoje a maioria das famílias são de um filho, no máximo dois, e se vc tiver três, é pq é louca, e tem famílias que nem querem filhos.
Quando cheguei aqui, fiquei louca, eu pensei, como elas conseguem? Isso é loucura, pra que tantos filhos?
Mas aqui se criam quatro filhos com o dinheiro que se cria um no Brasil, tudo é direcionado pra famílias grandes, então é mais fácil que o Brasil, mas mesmo assim, aos meus olhos era loucura.
Mas agora vejo diferente, quero muitos filhos,  não tem presente e tesouro maior que isso, e D-us deu isso em nossas mãos, nos capacitou fisicamente e emocionalmente pra isso.
A maioria dos pais, colocam as crianças super cedo pra dormir, entre 19:00 e 20:30, é depois que as crianças dormem é a hora que eles tem pra serem um casal, conversarem, jantarem juntos, namorar, enfim, ficar só os dois longe da bagunça, pois afinal antes de sermos pais , somos marido e mulher, esse tempo a dois é extremamente precioso, pq os pais precisam se curtir, e ter o seu momento e não podem viver somente em função dos filhos, pq depois os filhos crescem, casam, e como vai ficar as coisas se toda a vida dos pais girava somente em torno dos filhos.
E tbm as vezes pagam uma pessoa pra ficar com as crianças depois q elas dormem a noite, pra sairem, tomar um café, um sorvete, nem q seja na esquina, pq esses momentos são mto importantes.
Mesmo que quando os filhos dormem, vc tem mil coisas pra fazer, com certeza um momento com seu marido é mto mais importante, então deixa tudo e se curtam.
As mães aqui tentam ir pra cama no máximo às 22:30, más um dia ou outro vão as 02:00, más são exceções, como vão pra cama cedo, tem forças pra levantar cedo, entre 05:30 e 06:30, e ter tranquilidade pra preparar o café da manhã, e o lanche pros filhos antes de ir trabalhar.
Algo q mtas fazem tbm, é as vezes a tarde pagar uma menina, vizinha, pagar umas duas horas, uma pessoa pra ficar com as crianças no parquinho, pra que a mãe possa tirar um cochilo, tomar um banho demorado ou simplesmente respirar.
Outra coisa q via mto no Brasil, aqui tem u pouco, mas não como no Brasil, muitos pais no Brasil, ñ deixam seus filhos serem crianças, ñ deixam as crianças serem crianças, brincarem, se sujarem, bagunçarem, serem crianças, se esquecem de quando foram crianças, como uma criança pensa, as vezes impõe disciplina e regras desnecessárias, q só servem pra reprimir a criança, ñ são todos, mas via mto isso, aqui as crianças são mais livres pra serem crianças.
E tbm o fato de ter bastante filhos ajuda, pq os irmãos cuidam uns dos outros, e todo mundo aprende a ajudar nas tarefas de casa mto cedo.
Nós brasileiras somos diferentes, viemos de uma cultura diferente, as israelenses, tem uma força impressionante, mas uma coisa que meu marido me disse uma vez é mto verdade. Logo depois que meu filho nasceu, eu me sentia cansada, eu aproveitava o tempo q ele dormia pra ao invés de dormir um pouco, limpar a casa, cozinhar, e fazer as tarefas da casa, ñ temos família aqui, só amigos, então eu não queria incomodar pedindo ajuda de ngm, e não conseguia deixar bagunça na casa, então comecei a ficar mto cansada, e um dia em uma conversa com meu marido, comecei a chorar e disse” eu nunca vou conseguir ser mãe de mais um filho, eu fico só em casa, vivo cansada, e a casa bagunçada, como eu vou ter condições de cuidar de mais filhos, não tenho forças”
E ele me disse ” agora vc tem forças pra cuidar só de um bebê, quando vc tiver outro bebê, D-us vai te dar forças, a força vem conforme a situação”, e eu peguei isso, e entendi q é isso q acontece, com essas mães de doze filhos, elas tem força pra doze filhos, mais uma mãe de nove, tem força só para os nove, e assim vai.
Tudo q D-us faz é perfeito e se Ele nos dá condições físicas pra ter filhos, vai nos dar tbm condições emocionais, e força.
vida de mae em israel
Adorei conhecer um pouco como é ser mãe em Israel. Você também mora em outro país e gostaria de contar sua história?? Me escreve: mah@vidadegestanteemae.com.br
Beijos,