Vida de mãe no Kuwait

03 de fev de 2015

Meu nome é Sheila Amad, tenho 31 anos vivo em Kuwait há 6 anos com meu marido e 2 filhos. Uma menina de 5 anos e um rapaz de 4 meses.  Não tenho familiares nem conheço ninguém do meu país.  Sou Moçambicana, país africano chamado Moçambique. Sou muçulmana.

Acordo as 5 da manhã para fazer a minha oração da manha que é por volta das 5:20 nesta época do frio. E a partir se então começam as minhas tarefas até por volta das 2 da madrugada já do dia seguinte. Aproveito esse momento que acordo para fazer a limpeza, lavar a roupa alguma na máquina e outra a mão  porque a máquina por vezes estraga.

No meio disso as 6: 30 acordo a minha filha para apronta-la para ir a escola. Ela entra as 7:15, o meu marido vai deixa-la. Meu filho essa hora desperta para mamar. Aí eu paro tudo e vou amamentar-lo, terminando esta tarefa que me da um prazer enorme, ele adormece e la volto para as minhas tarefas, terminar a limpeza enquanto a panela do almoço esta no fogão.

O mais difícil deste país é que eu não falo a língua árabe, apesar de saber rezar em árabe. E também não tenho uma auxiliar para as minhas tarefas. As 11h normalmente o meu bebê desperta e começo a tratar dele até por volta das 13h. Dar banho, dar de mamar e brincar um pouco com ele enquanto espero pela menina que volta as 13:30. Quando ela chega tenho que tratar do almoço, louça etc. e preparar o jantar.

No meio disso dar de mamar, passar a roupa, e ensinar a minha filha as tarefas da escola, e dedicar me as minhas orações que são 5 por dia. Por vezes vou ao super mercado e quando volto arrumo tudo no mesmo dia o que  não é nada fácil.
Sinto-me por vezes doente e muito cansada, mas aguento me apesar se ter um marido maravilhoso que ajuda me bastante quando pode. Mas se fico na cama tudo para em casa.

A vida em Kuwait não é má,  mas não é social. Por vezes sinto-me só. Nos primeiros anos foi muito mais difícil, não tinha filhos e fiquei grávida, foi uma gravidez de muito risco, passava quase todo dia sozinha em casa sem conversar com ninguém. Quando cheguei a Kuweit trabalhei alguns meses na empresa com meu marido, sou formada em auditoria. Mas devido as complicações na gravidez tive que parar.

Agora não estou a trabalhar porque tenho um bebê pequeno e optei por dedicar me a ele e a minha filha. a rotina do meu dia a dia sendo mãe não é fácil, mas é prazeroza, quando terminamos o de jantar por volta das 7:30, limpo a cozinha levo mais ao menos 30 min. preparo a pasta da escola da minha pequena, seu uniforme e a roupa do meu marido para serviço. Tiro a roupa da lavandaria arrumo, no meio disso dou um banho na minha pequena e preparo lhe para dormir ate as 9h deve estar na cama.

Vou fazer lhe dormir o que leva ate mais ou menos 30 min por vezes mais porque quer que lhe conte histórias, etc.  No meio das histórias vou pondo o pijama ao pequeno, dar de mamar e fazê-lo dormir, pois também devo arranjar tempo para conversar e dar atenção ao meu marido.

Quando ele vai para cama as 11h da noite, termino o resto das tarefas, sento me para estudar um pouco, porque estou fazendo o meu mestrado por correspondência. As 2h vou para cama, nisso durante a madrugada vou despertando para dar de mamar e cobrir os meus bebês que não gostam nada de cobertas.

Kuwait é um país lindo, pequeno e muito desenvolvido.  O fim de  semana aqui são sextas e sábados. Sextas-feiras é o meu dia de folga doméstica.  Meu marido leva nós a passear o dia todo, sábado ele infelizmente trabalha apesar de muitas empresas não trabalharem.  Já estou habituada a vida aqui, apesar de não ter parentes cá.  Agora com os meus filhos não me sinto tão sozinha.

Você mora fora do Brasil e quer contar sua experiência? Me escreve: mah@vidadegestanteemae.com.br

Beijos,