Vínculo Materno

02 de jun de 2015

Eu sempre soube que os filhos, pelo menos quando pequenos, são mais grudados na mãe. Apesar do pai ter importante papel, o vínculo materno acaba sendo bem mais forte o que faz com que as crianças se sintam mais seguras com as mães.

Aqui em casa é nítido como o Vítor é muito mais ligado à mim do que a Mariah, que sempre corre feliz da vida em direção ao pai. Mesmo assim, esses dias estava observando o comportamento deles comigo e com meu marido e percebi que eles tem uma necessidade constante de que eu esteja por perto.

Dia desses estávamos bem cansados e meu marido deitou um pouco. Eu fiquei com as crianças e em momento algum elas perguntaram pelo pai ou quiseram ir até o quarto acordá-lo. Ficamos numa boa brincando na sala, sem problemas. Depois de mais de 2h, eu que também estava dormindo em pé, chamei meu marido e falei para “trocarmos o turno”. Era um domingo, então estávamos todos bem tranquilos de tarde.

vinculo materno

Ele veio para a sala com as crianças e eu fui pro quarto. Logo de cara Vítor apareceu dizendo que queria que eu voltasse pra sala. Eu disse que descansaria um pouco e encostei a porta do quarto (ele pediu para eu não fechar completamente). Mal fechei os olhos, uns 20 minutos depois, Vítor já estava em pé ao lado da minha cama perguntando se eu já levantaria. Eu disse que queria descansar um pouco mais e ele disse que então ficaria deitado comigo.

Como Vítor já tinha dormido, estava super agitado e ficar deitado não era um boa opção pra ele. Logo depois Mariah chegou, pediu pra subir na cama e mesmo meu marido vindo atrás e tentando levar as crianças eu não consegui descansar mais, toda hora eles voltavam correndo me chamando.

Fiquei então pensando porque isso acontece. Por que eles ficam tão grudados em mim, sendo que o pai está lá tão presente? Por que esta necessidade enorme de ter sempre a mãe pro perto? O vínculo materno é mesmo muito poderoso! E com isso, nós mães, ficamos cada dia mais cansadas, mas também, muito mais felizes, né?

Beijos,