Vou voltar a ser quem eu era?

11 de abr de 2017

Eu estava com saudades de escrever. Nessa minha busca por quem eu realmente sou e o que queria fazer da vida, me afastei do blog. Primeiro tinha a sensação de que não tinha mais o que escrever, como se tudo já tivesse sido dito. Depois parecia que eu não sentia mais vontade.

Descobri, na verdade, que me faltava era foco e clareza do que eu queria fazer. Como é bom poder voltar a escrever sobre meus sentimentos e também sobre como tem sido minha vida de mãe.

Eu não pretendo ter mais filhos e não tenho mais bebês em casa, mas sinto que tenho muito a contribuir com quem está na fase mais difícil (e que vai durar por uns bons anos!) que é a de educar.

Pensar que o que eu ensino agora irá refletir por toda a vida deles me faz acender uma luz de emergência dentro de mim. Eu preciso fazer meu melhor, eu preciso ser o melhor para eles. E isso estava acabando comigo. Eu vivia estressada, não estava mais conseguindo fazer nada direito.

Precisei buscar novas informações e me reencontrar como pessoa (se você está na fase que parece que nunca mais será você mesma, calma, vai passar!) para entender que aquela velha cobrança de sempre para ser perfeita não existe. É importante ter conhecimento, buscar soluções para nossos conflitos, mas também é importante respeitar nossos limites e entender que a perfeição não existe e nem é saudável.

Meus filhos precisam me ver errando, para que entendam que todos somos passíveis de erros. Assim como eles precisam me ver pedindo desculpas, para entenderem que precisamos nos redimir das coisas erradas que fazemos. Eles precisam me ver tentando acertar, para saberem que a vida é um vai e vem e que nunca podemos parar, mas também precisam me ver mudando de direção, para entenderem que a vida não precisa ser a mesma para sempre.

Eu sou um espelho para eles, eles serão o que sou e agirão conforme me viram agindo.

Agora me sinto mais feliz e tranquila e consegui finalmente escolher o que quero fazer agora (não necessariamente para o resto da vida) e com isso as palavras começaram a saltar da minha cabeça para o papel novamente.

Se você quiser um conselho: não se desespere, tudo vai passar, você terá sua vida “normal” quase toda de volta. Você terá tempo para suas coisas e poderá decidir que rumo quer dar para ela. Não se cobre tanto, não tente ser perfeita, seja você e mostre isso aos seus filhos.

Só lembrando: A Clarissa Yakiara, que eu sempre falo para vocês, abriu as inscrições para o curso Zum Zum de Mães, que eu já fiz e indico para todas minhas amigas! Vale a pena! As vagas são limitadas e poderão ser feitas só até dia 13/04. Clique aqui!

Beijos,